Cinema

Este ano, o festival de Curtas de Vila do Conde viaja até Lisboa, Porto e Faro

Vila do Conde será, como é habitual, o epicentro do festival. Mas em ano de pandemia o festival adaptou-se — e cresceu.
Curtas atrasou mas não parou.

A pandemia estragou alguns planos, é verdade, e obrigou mesmo a adiar o festival. Mas a 28.ª edição do Curtas de Vila do Conde vai mesmo acontecer. É já em outubro e chega com novidades que mostram que o festival se soube adaptar.A edição deste ano vai decorrer entre os dias 3 e 11 de outubro e volta a ter a cidade vilacondense como a principal base, com sessões no Teatro Municipal, no Auditório Municipal e na Solar – Galeria de Arte Cinemática.

Ao mesmo tempo, o Curtas vai até outros pontos do país, com uma edição simultânea a decorrer em Lisboa, Porto e Faro. Há sessões da competição nacional previstas para o Cinema Trindade, no Porto ( de 5 a 9 de outubro), no Cinema Ideal em Lisboa (de 7 a 11 de outubro) e no Auditório do Instituto Português dos Desporto e Juventude de Faro — Cineclube de Faro (de 6 a 10 de outubro). Mas não é só.

Vai estar também numa plataforma online onde serão exibidos alguns dos filmes da seleção oficial, bem como momentos de debates e masterclasses com realizadores. De resto, podemos esperar obras de autores reconhecidos, como o ucraniano Sergei Loznitsa, o iraniano Jafar Panahi, o canadiano Guy Maddin, o mexicano Nicolás Pereda e a grega Konstantina Kotzamani, entre outros, que apresentarão obras inéditas na Competição Internacional.

A organização chama também a atenção para talentos emergentes como a espanhola Lucía Aleñar Iglesias, a grega Jacqueline Lentzou ou a francesa Elsa Rysto, com curtas-metragens que vão estar em destaque.

Este ano decorre entre 3 e 11 de outubro.

A Competição Experimental continua a apresentar filmes na vanguarda e inclui alguns nomes como a italo-alemã Rosa Barba, o norte-americano Ben Russell, o británico Ben Rivers e a portuguesa Salomé Lamas.

Atenção também ao Stereo, onde música e cinema se conjugam. Está prevista uma sessão com alguns documentários sobre histórias relacionadas com a música portuguesa, desde os pioneiros do Hip-Hop, a um misterioso cantor de Matosinhos que se tornou num dos grandes mitos da música popular portuguesa de forma insólita, passando pela história de um polivalente ator, driver, professor, pintor e bailarino nos concertos dos Sensible Soccers.

Em destaque estará também o cine-concerto Guanche, que junta em palco o Paulo Furtado, mais conhecido como The Legendary Tigerman, a atriz Íris Cayatte e o realizador Pedro Maia. Além da competição tradicional de vídeos musicais portugueses.

O programa Da Curta à Longa, espaço em que festival acompanha alguns dos realizadores que já passaram por Vila do Conde e que apresentam os seus novos projetos. A norte-americana Kelly Reichardt estreará em Portugal “First Cow”, aclamado na Berlinale. Rodrigo Areias, já premiado no passado no Curtas, vai apresentar o seu novo filme, “Vencidos da Vida”.

O escritor Valter Hugo Mãe surge em dose dupla. Vai estar presente no documentário “O Sentido da Vida”, de Miguel Gonçalves Mendes, e será protagonista no filme da sessão de encerramento, “Herdeiros de Saramago: Valter Hugo Mãe”, episódio de uma série criada por Carlos Vaz Marques e realizada por Graça Castanheira.

É a 28ª edição do certame.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT