Cinema

Ethan Hawke interpreta um dos vilões mais assustadores do ano neste novo filme

“O Telefone Negro” centra-se num serial killer que rapta crianças. Estreia em Portugal esta quinta-feira.
Ethan Hawke é o ator protagonista.

Chama-se “O Telefone Negro” e é um novo filme de terror que estreia nos cinemas portugueses esta quinta-feira, 23 de junho. Protagonizado por Ethan Hawke, ator versátil e conceituado que talvez nunca tenha interpretado um verdadeiro vilão, foi dirigido por Scott Derrickson — que fez este projeto depois de sair a meio de “Doutor Estranho no Multiverso da Loucura”.

Foi uma espécie de “regresso a casa” para este cineasta que já tinha trabalhado com Hawke em “Sinister – A Entidade”, outra história de terror. A narrativa de “O Telefone Negro” baseia-se no conto homónimo de Joe Hill, o filho do “mestre do terror” Stephen King, publicado em 2005.

O enredo desenrola-se na cidade de Denver, nos EUA, durante o final dos anos 70. Foi ali mesmo que Scott Derrickson cresceu, numa altura de tensões e violência, espancamentos entre adolescentes, pais severos e brutos e a sombra de Ted Bundy, o serial killer que na mesma altura cometeu diversos homicídios no estado do Colorado.

Este imaginário real (onde também cabe rock dos anos 70 e um novo filme a causar burburinho, “O Massacre do Texas”) mistura-se com elementos fantasiosos e sobrenaturais. A narrativa centra-se em The Grabber (Ethan Hawke), um homem enigmático que rapta e assassina crianças ou adolescentes. 

O miúdo que acompanhamos ao longo de uma hora e 42 minutos de ação é Finney, que é levado pelo vilão para a sua cave sinistra — onde atormenta as suas vítimas. Naquele local arrepiante, Finney descobre um telefone bizarro, através do qual recebe mensagens de ajuda dos aparentes fantasmas das anteriores vítimas do The Grabber.

Finney tem um pai alcoólico e viúvo que lhe bate com o cinto, e a irmã Gwen que tem um sexto sentido apurado — os seus sonhos reveladores começam também a interessar à polícia, a dado ponto do enredo, e poderão ajudar a salvar Finney.

Em entrevista à “IndieWire”, Scott Derrickson explicou que não escreveu o papel a pensar em Ethan Hawke, mas que foi a primeira pessoa a quem fez o convite, embora de forma algo indireta. 

“Liguei-lhe e disse: Tenho o próximo filme que vou fazer e é com o Jason [Blum, o produtor]. É um vilão, e deixa-me já dizer-te porque é que se calhar não deverias fazê-lo. Para começar, ele é um pedófilo e um assassino sádico. Em segundo, ele usa quase sempre uma máscara, por isso não vemos muito a cara dele. Tirando isso, é um grande papel.”

Aparentemente, Ethan Hawke respondeu: “Não interpreto muito vilões, teria de ser algo muito do género de Jack Nicholson no ‘The Shining’”. Na manhã seguinte, o realizador tinha uma mensagem de voz de Ethan Hawke por ouvir. O ator tinha lido o guião e gravara a leitura de algumas cenas, com uma voz grave e sinistra, revelando que acabara de aceitar o papel.

“Foi uma das razões pelas quais quis recorrerEthan Hawke interpreta um dos vilões mais assustadores do ano neste novo filme primeiro ao Ethan. Tem uma das vozes mais distintas. Acho que as pessoas não aproveitam o quão única a voz dele é. Tem um alcance incrível. Pode falar de forma aguda muito naturalmente, mas também pode falar de forma grave. Ele usou isso para o The Grabber”, explicou Derrickson, acrescentando que também agradou ao ator o facto de não poder usar tanto o rosto, e ter de complementar a representação com a voz e movimentos corporais.

O elenco inclui ainda nomes como Mason Thames, Madeleine McGraw, Jeremy Davies, E. Roger Mitchell, Troy Rudeseal ou James Ransone, entre outros.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT