Cinema

“Free Guy”: já estreou em Portugal um dos filmes mais populares do ano

Ryan Reynolds é o protagonista e já está a ser preparada uma sequela. É uma história passada num videojogo.
Ryan Reynolds é o protagonista.

1998. Um homem apercebe-se de que a sua vida comum tem características bastante curiosas — aparentemente toda a cidade gira à sua volta. Rapidamente vai descobrir que é o protagonista de um reality show em que todas as pessoas que conhece são atores profissionais. É esta a premissa de “The Truman Show”.

No ano seguinte, um programador informático e hacker conhecido como Neo descobre que a sua realidade é simulada — trata-se de um sonho coletivo implementado na espécie humana, que na vida real está a ser controlada por máquinas inteligentes, que exploram a energia dos humanos enquanto estes estão adormecidos. “Matrix” tornou-se altamente popular.

Mais de 20 anos depois, chega aos cinemas esta quinta-feira, 19 de agosto, “Free Guy: Herói Improvável”. Tem semelhanças óbvias com este tipo de histórias — embora num mundo mais influenciado pelos videojogos contemporâneos (daí também estar a ser comparado, de certa forma, com “Ready Player One”).

“Free City” é um videojogo online de mundo livre desenvolvido pela Soonami Games. O código de programação foi roubado de um jogo chamado “Life Itself”, que foi criado por Walter “Keys” McKey (Joe Keery) e Millie Rusk (Jodie Comer). Foi Antwan (Taika Waititi) que roubou o código e o aplicou em “Free City”.

Desde então, Keys começou a trabalhar na Soonami — e Millie passa os dias a jogar “Free City”, com o seu avatar Molotov Girl, a tentar descobrir provas de que o código original lhes pertencia. 

Neste mundo, há uma personagem que — tal como Truman e Neo — vai descobrir que é uma personagem de um videojogo. Guy (Ryan Reynolds) trabalha como bancário nesta cidade virtual e está rodeado de outros NPC (non-player character) e de personagens avatar interpretadas por pessoas reais que estão a jogar o jogo.

Num certo dia, ele depara-se com Molotov Girl, que está a cantar a canção que ele diz que a sua mulher de sonho vai gostar — e a partir daí começa a desviar-se da sua programação. Ele rouba uns óculos de sol de um jogador que está a tentar roubar o seu banco — e com eles começa a ver a “Free City” de uma perspetiva diferente, percebendo que tudo aquilo não passa de um videojogo.

Guy tenta falar com Millie (que pensa que ele é outro jogador real) e ela diz-lhe para chegar ao nível 100 antes de conversarem. Em vez de cometer atos destrutivos, Guy opta por completar missões bondosas para ganhar pontos e subir de nível no jogo. Acaba por se tornar uma sensação mundial no mundo dos videojogos.

Millie e Guy cruzam-se novamente mais tarde — e ela e Keys acreditam que Guy desenvolveu consciência através da inteligência artificial. Com a sua ajuda tentam descobrir o código que está escondido algures dentro do jogo.

A sua jornada vai ameaçar o lançamento de “Free City 2”, a sequela do jogo, e Antwan tenta destruir a consciência de Guy. Pelo meio é colocado em “Free City” uma versão evoluída (e ainda não terminada) do próprio Guy, com muito mais força e um enorme corpo de bodybuilder. A batalha continua, online e offline, pelo domínio do código de programação.

O elenco inclui ainda Lil Rel Howery, Utkarsh Ambudkar, Aaron W Reed, Britne Oldford, Camille Kostek ou Mike Devine. O filme conta também com várias pequenas participações especiais, de gamers e personalidades. Chris Evans, Channing Tatum, Tina Fey, Hugh Jackman, Dwayne Johnson e John Krasinski todos entram — de uma forma ou outra, com a sua imagem ou voz — em “Free Guy: Herói Improvável”.

O filme foi realizado por Shawn Levy (“Stranger Things”) e contou com a colaboração regular de Ryan Reynolds, que disse ser o projeto em que esteve mais envolvido desde “Deadpool”. As gravações aconteceram em Boston e noutras zonas do estado americano do Massachusetts.

Se a jogabilidade é semelhante a jogos como “Grand Theft Auto” ou “Fortnite”, o design tem mais a ver com “SimCity” ou “Red Dead Redemption 2”. Há várias armas icónicas de sagas de videojogos ou filmes que se veem ao longo da narrativa — até há elementos de “Star Wars” e da Marvel, sendo que não foi difícil, já que se trata de um filme da 20th Century Studios, ex-Fox, que agora pertence à Disney.

O filme estreou nos EUA há uma semana e gerou uma receita de bilheteira muito acima do esperado — teve uma das melhores estreias desde o início da pandemia. No sábado, 14 de agosto, Ryan Reynolds confirmou que a empresa já disse que quer uma sequela.

Carregue na galeria para conhecer alguns dos principais filmes que ainda vão estrear este ano.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT