Cinema

O novo filme da Netflix é impróprio para quem sofre de claustrofobia

“Oxigénio” estreou na plataforma em maio e conta com a presença de Mélanie Laurent.
Sufocante

Drama, terror, suspense, ficção científica, espaços pequenos, fechados e alguma sensação de claustrofobia. Vai encontrar tudo isto no novo filme “Oxigénio”, que estreou em maio, na Netflix.

Escrito por Christie LeBlanc e realizado por Alexandre Aja, o filme retrata a luta pela sobrevivência dentro de uma unidade criogénica. Liz, personagem interpretada por Mélanie Laurent — que conhecemos que outros títulos como “Mestres da Ilusão”, “Assim é o Amor” ou “Sacanas Sem Lei” —, acorda dentro daquele minúsculo espaço sem ter ideia de quem é ou como foi ali parar e precisa de lembrar-se de quem é antes que o oxigénio acabe.

“O filme parece estranhamente o reflexo do que passámos durante o confinamento”, explicou Aja, citado pelo “Collider”.

Nesta produção francesa está muito vincada essa necessidade de respirar, sair, apanhar um pouco de ar, ao ponto de ser quase asfixiante. No meio da trama, Liz terá de tentar compreender também a tecnologia que a rodeia para poder utilizá-la a seu favor, seja para obter respostas ou para acalmar-se e com isso consumir menos o pouco oxigénio que tem.

Apesar de a ação estar focada principalmente neste personagem, que está praticamente sozinho, fazem ainda parte do elenco artistas como Malik Zidi, Eric Herson-Macarel, Mathieu Amalric ou Marc Saez.

Se acha que não está preparado para quase duas horas tão intensas, há outras estreias deste mês que pode ver. Carregue na galeria para descobri-las.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT