Cinema

Hollywood usa um filtro amarelo nos filmes sobre o México. Isso é racismo?

O trailer de “Tyler Rake: Operação de Resgate”, da Netflix, relançou este debate que se mantém aceso nos bastidores da indústria.
Amarelo é tom comum

Se calhar nunca reparou nisso, mas os filmes sobre o México costumam ter uma espécie de filtro amarelo sobre as imagens. Agora que pensa nisso, percebeu que é verdade, certo? Pois bem, o mesmo acontece nas filmagens em histórias passadas na Índia ou no sudeste asiático. A explicação é mais ou menos simples: o objetivo dos cineastas é tornar esses tons mais saturados e pretende dar a ideia de um clima quente, seco e tropical.

Na prática, o efeito pode não ser totalmente o desejado, uma vez que a sensação transmitida com aquele tipo de coloração da imagem pode ser a de um local pouco saudável, perigoso e até mais feio. O que não corresponde, em alguns casos, à realidade dos países que serviram de cenário aos argumentos.

Esta é uma situação recorrente em filmes, sobretudo americanos, e tem sido novamente discutida desde que a Netflix lançou o trailer de “Tyler Rake: Operação de Resgate”, o filme que tem Chris Hemsworth no papel principal e que estreou em abril do ano passado.

“É perturbador. Isso vai de mãos dadas com a forma como os racistas ocidentais percebem esses lugares e pessoas, especialmente quando se pensa sobre como as culturas desses países são vibrantes e coloridas. A aplicação desses filtros gera estereótipos sobre esses lugares e as pessoas que vivem lá”, explicou o analista da Califórnia, Sulymon, cuja família vem da Índia, Paquistão e Afeganistão, ao “Matador Network”.

Esta ideia de tornar amarelados os locais como zonas de guerra, mais pobres ou poluídos está muito enraizada no cinema americano e mesmo em séries, como são exemplo “The Darjeeling Limited” ou “Traffic – Ninguém Sai Ileso“. Em relação a “Tyler Rake: Operação de Resgate”, a polémica aumentou quando no Twitter apareceu um meme que dizia que os realizadores utilizavam óculos escuros acastanhados quando as cenas são passadas no México.

Uma das formas através das quais esse detalhe ganhou ainda mais relevância foi através de um vídeo divulgado pela própria Netflix. Ao tentar mostrar a forma como foram filmadas algumas das cenas do filme, coloca lado a lado as imagens de bastidores e as do filme, sendo clara a diferença de tonalidade.

Além do filtro amarelo, que não retrata a realidade dos países que pretende mostrar, esta intenção tem sido acusada de ser racistas. Estes tons são aplicados em casos onde há muitas vezes cartéis, gangues, pobreza e, por norma, o protagonista encarregue de salvar toda a história é, claro, branco.

Em contraponto, pode ainda dizer-se que em paisagens ocidentais, e sobretudo americanas ou europeias, é muitas vezes aplicado um filtro de tonalidade azul ou verde que dá um aspeto mais bonito à imagem. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT