Cinema

Jackpot: sabe quanto é que Tom Cruise já recebeu de cachê com o novo “Top Gun”?

O ator de 60 anos recebeu 12 milhões de salário e ainda tem direito a uma percentagem das receitas, que já ultrapassaram os mil milhões.
Não havia de estar feliz?

14,75 milhões de euros foi o custo total da produção do primeiro “Top Gun” que se revelou uma aposta certeira. Quando a ronda pelos cinemas terminou e feitas as contas, o filme de ação de 1986 acumulou um total de 351 milhões de euros em receitas. Mais de 20 vezes mais do que o valor investido.

Desse custo inicial, perto de dois milhões foram diretamente parar ao bolso de Tom Cruise, o protagonista, que arrecadou 13 por cento do investimento na produção. Mais de 30 anos depois, o cenário é bem diferente.

Cruise foi um dos grandes impulsionadores da sequela do filme de ação que se tornou num ícone da cultura pop. Juntamente com Jerry Bruckheimer, o ator de 60 anos fez questão de regressar para o papel de Pete Mitchell, Maverick.

Ao fim de muitos meses de atraso provocados pela pandemia, o filme realizado por Joseph Kosinski chegou finalmente aos cinemas em maio e rapidamente se tornou no maior êxito de bilheteira do ano. Em Portugal, por exemplo, já foi visto por mais de meio milhão de espectadores — o que equivale a uma receita de aproximadamente três milhões de euros.

A nível mundial, o cenário repete-se: além de ter protagonizado a melhor estreia de sempre de um filme de Tom Cruise no primeiro fim de semana em cena, ultrapassou a barreira dos mil milhões de euros de receitas, algo que, desde o arranque da pandemia, só foi repetido por “Homem-Aranha: Sem Volta a Casa”.

Não há dúvidas de que “Top Gun: Maverick” é já o maior sucesso de bilheteira da carreira do ator. E esse sucesso, ao contrário do que aconteceu em 1986, vai refletir-se esplendorosamente na carteira de Cruise.

De acordo com a “Puck News”, a receita exclusiva do ator com o papel poderá aproximar-se dos 100 milhões de euros, valor que acresce ao salário recebido inicialmente no valor de 12 milhões. No contrato ficou estabelecido que Cruise teria direito a 10 por cento do “first-dollar gross” — é, no fundo, uma cláusula comum em Hollywood, que estabelece que o ator tem direito a uma percentagem imediata das receitas, contrastando com outras cláusulas, que estabelecem que essa percentagem só é atribuída a partir do momento em que o estúdio garante o seu lucro no projeto. Esse valor “aumenta em patamares, conforme são atingidas determinadas metas”.

Valores aproximados a estes só mesmo os que Cruise arrecadou com os diversos filmes da saga “Missão Impossível” — nos quais está envolvida a sua companhia de produção Cruise/Wagner, que também esteve envolvida em filmes como “Vanilla Sky”, “Guerra dos Mundos”, “Relatório Minoritário” ou “O Último Samurai” —, com valores a rondarem os 70 milhões de euros.

2022 está a ser um ano em cheio para Cruise que, desta forma, irá com certeza subir uns quantos lugares na lista dos atores mais ricos de Hollywood, onde ocupa já os lugares cimeiros com uma fortuna estimada em mais de 500 milhões de euros.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT