Cinema

Johnny Depp acusa Amber Heard de defecar no seu lado da cama

"Foi tão bizarro e grotesco que só me consegui rir." O ator testemunhou no julgamento em que acusa a ex-mulher de difamação.
Johnny Depp passou várias horas a testemunhar.

Johnny Depp está a processar a ex-mulher Amber Heard por difamação, num julgamento que se está a tornar hiper mediático, até porque tem sido transmitido em direto. O ator pede uma indemnização de 50 milhões de dólares (o equivalente a 46 milhões de euros) pelo artigo de opinião que Heard assinou no jornal “The Washington Post” em 2018.

Nesse texto, a atriz e modelo relata as suas alegadas experiências enquanto vítima de violência doméstica. Apesar de nunca mencionar o nome de Depp, os advogados do ator dizem ser claro que as acusações se referem ao ex-marido. E que isso tem afetado a sua reputação e carreira.

Antes do artigo, Amber Heard já tinha acusado publicamente Johnny Depp de a ter agredido e estrangulado em episódios violentos e voláteis. Depois de ter testemunhado na terça-feira, o ator voltou a prestar um depoimento esta quarta-feira, 20 de abril. A NiT resume as várias horas da sessão em cinco tópicos principais.

Johnny Depp disse que Amber Heard tinha uma necessidade de violência

Nesta quarta-feira, Johnny Depp declarou sobre Amber Heard: “Tem uma necessidade de violência. Vem do nada. A única coisa que aprendi a fazer foi precisamente aquilo que fazia quando era criança — retraía-me”, disse, referindo-se aos espancamentos que sofria por parte da sua mãe, quando era miúdo.

O ator alegou que muitas vezes os conflitos começavam com discussões verbais e escalavam para atos de violência física. “Podia começar com uma chapada, com um empurrão, ou a atirar um comando de televisão à minha cabeça. Podia começar com ela a atirar um copo de vinho à minha cara. Era constante.”

Depp sublinhou novamente que nunca respondeu de forma violenta. “A violência é desnecessária. Porque é que haverias de bater em alguém para que essa pessoa concorde contigo?” E disse ainda que decidiu manter o casamento porque não queria desistir dele, tal como o pai se tinha mantido com a mãe apesar dos episódios de violência doméstica.

“Não queria falhar. Queria tentar que resultasse. Pensei que a pudesse ajudar. Pensei que talvez lhe pudesse dar a volta, porque a Amber Heard que conheci durante o primeiro ano, ou ano e meio, não era esta adversária.”

O ator fala sobre o incidente em que perdeu parte do dedo

O já célebre incidente, que aconteceu em março de 2015 na Austrália, quando Johnny Depp perdeu parte de um dedo na sequência de uma enorme discussão, foi abordado pelo ator. As razões que levaram ao corte permanecem altamente contestadas entre ambas as partes. Há inclusive testemunhas, profissionais de saúde que acompanharam o momento, que alegam que Depp lhes deu outra versão dos acontecimentos na altura.

Johnny Depp diz que tudo começou com uma discussão sobre o acordo pré-nupcial — apesar de estarem juntos desde 2012, Deep e Heard casaram precisamente naquele ano de 2015. Sempre que abordava o tema, acontecia uma grande discussão. Naquele dia, o ator diz que teve mesmo de se trancar na casa de banho.

Algum tempo depois, no bar, Johnny Depp estava sozinho. “Servi-me dois ou três shots de vodka, a primeira vez que bebia álcool em muito tempo. Ela desceu para o bar, encontrou-me ali e começou a gritar ‘Estás a beber outra vez! És um monstro!’” Segundo Johnny Depp, Amber Heard terá atirado a garrafa de vodka contra ele, embora não lhe tenha acertado. Depois, o ator pegou numa garrafa ainda maior de vodka para servir mais um shot.

Segundo Depp, terá sido esta a garrafa que Amber Heard terá atirado e que terá atingido a sua mão, desfazendo-se em cacos e causando-lhe um corte profundo no dedo. “A minha mão estava na ponta do balcão, ela atirou a garrafa grande, fez contacto e despedaçou-se por todos os lados. Não senti a dor no início. O que senti foi calor e algo a escorrer pela minha mão. Olhei e reparei que a ponta do meu dedo tinha sido ferida, e eu estava a olhar diretamente para os meus ossos e a parte carnuda no interior do dedo… Não sei o que é um colapso nervoso, mas aquilo foi o mais próximo que tive de um.” Teve de ser submetido a um procedimento cirúrgico.

Johnny Depp diz que Amber Heard ameaçava tirar a própria vida

O ator disse ainda que Amber Heard ameaçou “muitas vezes” tirar a própria vida depois das discussões entre ambos, para impedir que ele a deixasse. “Isso é algo que fica sempre contigo e que temes. Muitas vezes, quando eu tentava sair, ela parava-me no elevador com os seguranças, a chorar, a gritar a dizer ‘Não consigo viver sem ti, vou morrer’”.

Acusa a ex-mulher de defecar na cama de ambos

Johnny Depp acrescentou que queria terminar o casamento em abril de 2016 e que desejava tirar os seus pertences da casa que partilhava com Amber Heard sem ela estar presente. Num certo fim de semana, a atriz estava no festival Coachella, e Depp considerou que seria a melhor altura de todas para o fazer. Mas o seu segurança Sean Bett, que estava na habitação, sugeriu que talvez não fosse o melhor dia para fazer aquilo.

“Eu tinha falado com o senhor Bett e disse-lhe: ‘Ela está no Coachella, acho que é uma boa altura para ir à baixa para retirar algumas das minhas coisas’, especialmente pertences que eram preciosos para mim… E ele disse ‘Acho que esta não é uma boa altura’. E eu pensei: ‘É o timing perfeito. Ela não vai estar em casa durante dois dias’. E depois ele mostrou-me uma fotografia… Era uma imagem da nossa cama, e no meu lado da cama estavam fezes humanas. Foi tão bizarro e grotesco que só me consegui rir.”

Segundo Johnny Depp, Amber Heard “tentou pôr a culpa nos cães”. “Eles são pequenos Yorkies. Cada um pesa menos de dois quilos. A fotografia que vi… Vivi com aqueles cães durante muitos anos. Não foram eles. E senti que não merecia aquele tipo de tratamento.”

O ator diz que perdeu tudo graças a estas acusações

Johnny Depp também teve de explicar o que tinha perdido para o motivar a avançar com este processo de difamação, que exige uma avultada indemnização. “Nada menos do que tudo”, respondeu em tribunal. E frisou que, independentemente do veredito, já perdeu.

“Quando as alegações foram feitas e começaram a circular rapidamente pelo planeta, a dizer às pessoas que eu era um maníaco em cocaína que de repente batia em mulheres nos meus 50 anos… Independentemente do resultado deste julgamento, no segundo em que as alegações foram feitas contra mim, perdi. Vou viver com isto para o resto da minha vida. Por causa das alegações e por ser um caso tão mediático, já perdi.”

Johnny Depp admitiu ainda, numa altura do julgamento em que deu contexto sobre o seu trabalho na saga de “Os Piratas das Caraíbas” — em que estava a trabalhar na Austrália em 2015 —, que nunca chegou a ver o primeiro filme. 

Na sessão de segunda-feira, a enfermeira privada de Johnny Depp contou o episódio em que teve de andar à procura de uma parte do dedo do ator pela casa. Na terça-feira, Johnny Depp considerou as alegações de Amber Heard “diabólicas”, contou os seus traumas de infância (uma vez que a sua mãe o espancava), abordou as mensagens chocantes que enviou sobre o cadáver da mulher e esclareceu que nem sempre esteve intoxicado com drogas e álcool. Leia as principais declarações do ator. 

Leia também o artigo da NiT que relata a espiral descendente que se abateu sobre a carreira de Johnny Depp.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT