Cinema

Johnny Depp regressou ao banco das testemunhas e nega todas as acusações da ex-mulher

No final, o ator garantiu que apesar de não ser perfeito, nunca cometeu abusos sexuais nem físicos.
O julgamento está na reta final.

Depois do tão esperado depoimento de Kate Moss esta quarta-feira, dia 25 de maio, o mediático julgamento que opõe Johnny Depp à ex-mulher Amber Heard ficou marcado pelo regresso do  ator ao banco das testemunhas. Chamado pela sua equipa legal, Depp foi convidado a comentar algumas declarações feitas nos dias anteriores, quer por Heard quer pelas testemunhas que foram convocadas pela atriz.

Depp começou por referir o documento que motivou a batalha judicial e explicou que só viu as declarações do seu advogado Adam Waldman sobre Amber Heard no jornal “Daily Mail” quando a ex-mulher entrou com um processo de difamação contra ele. Em murmúrio acrescentou que as declarações de Waldman — que estão no centro do contra-processo de Heard — “pareciam-me muitas palavras de salada”.

Sobre o papel de Heard em “Aquaman”, a estrela de Hollywood garantiu que, na altura, a mulher lhe pediu para telefonar aos contactos que tinha na Warner Brother Studios, de modo a exercer influência para que eça conseguisse o papel de Mera.

Depois, entre outras afirmações em que refutou o consumo de comprimidos, como a ex-mulher tinha acusado, voltou a afirmar que viu o dedo decepado em março de 2015, na Austrália, após, alegadamente, a atriz lhe ter atirado uma garrada de vodka. Falou sobre a lua de mel e descreveu fotos onde alega que ele próprio surge com o rosto marcado por agressões. 

O ator mencionou ainda o depoimento da irmã da atriz, Whitney Henriquez, que testemunhou a favor de Amber e referiu que tinha uma boa relação com a jovem, que viveu uma temporada com o ex-casal. Depp afirmou que as irmãs discutiam muito, que a mais nova era muitas vezes “um saco de boxe” da atriz e que numa dessas discussões Amber terá expulsado Whitney de casa. 

Quando questionado sobre como se tinha sentido ao ouvir o depoimento da ex-mulher naquela sala de tribunal, o protagonista de “Piratas das Caraíbas” respondeu: “é de loucos ouvir as acusações de violência e de violência sexual, que ela me atribui”. E garantiu ainda que o relato da ex-mulher em tribunal  “é ridículo, humilhante, de loucos, selvagem e tudo falso. Tudo falso”.

No final, acrescentou: “nenhum ser humano é perfeito, claro que não é. Nenhum de nós é. Mas nunca na minha vida cometi abusos sexuais nem físicos, todas essas histórias loucas. Vivi com isso durante seis anos, e esperei até ser capaz de contar a verdade. Isto não é fácil para ninguém, sei disso. Não importa o que aconteça, cheguei aqui, confessei, falei sobre o que tenho carregado comigo, com muita dificuldade, durante seis anos”.

Johnny Depp está a processar Heard por difamação. O ator pede uma indemnização de 50 milhões de dólares (o equivalente a 46 milhões de euros) pelo artigo de opinião que a ex-mulher assinou, em 2018, no jornal “The Washington Post”.

Conheça a história de Johnny Depp e Kate Moss, que namoraram durante os anos 90. Recorde os momentos mais bizarros do julgamento até agora. Leia o artigo da NiT que relata a espiral descendente que se abateu sobre a carreira de Johnny Depp. Também lhe contamos a história de Amber Heard e como o artigo na origem do processo de difamação poderá não ter sido escrito por ela. Conheça também o significado das roupas que a atriz tem vestido durante o julgamento.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT