Cinema

Karen Allen acalma a polémica: “Acho que o Indiana Jones não era um pedófilo”

A atriz que interpreta Marion falou sobre o assunto que tem perturbado os fãs ao longo de vários anos. O quinto filme da saga estreia no próximo ano.
Os atores têm uma diferença de 9 anos.

Em “Os Salteadores da Arca Perdida”, o primeiro filme da saga de Indiana Jones — que estreou em 1981 nos cinemas — há um diálogo ambíguo que, segundo a revista americana “IndieWire”, deixou ao longo dos anos vários espectadores confusos sobre se Indiana Jones (Harrison Ford) seria um predador sexual. Ou até um pedófilo.

É o momento em que o público é apresentado a Marion Ravenwood (Karen Allen), quando Indiana Jones visita o seu bar e as personagens se encontram pela primeira vez numa década.

Marion esmurra Indiana Jones e diz: “Aprendi a odiar-te nos últimos dez anos”. Quando o protagonista explica que nunca teve a intenção de a magoar, ela responde: “Eu era uma criança! Estava apaixonada! Era errado e tu sabias”.

A seguir, quando Indiana se continua a desculpar pelo que terá acontecido no passado, Marion ainda diz: “Sabes o que me fizeste? À minha vida?”. “Os Salteadores da Arca Perdida” não oferece nenhum contexto para percebermos o que terá acontecido uma década antes — e a personagem de Marion só volta a aparecer no último filme da saga, “Indiana Jones e a Caveira de Cristal”, que estreou em 2008.

Contudo, nos últimos dias, a atriz que hoje tem 69 anos (menos nove do que Harrison Ford) deu uma entrevista ao “Uproxx” a propósito do lançamento de uma nova edição Blu-ray 4K do primeiro filme da saga, que foi realizado por Steven Spielberg e escrito por Lawrence Kasdan a partir de uma ideia de George Lucas e Philip Kaufman.

Karen Allen falou sobre aquela cena em específico e disse que nunca viu a relação entre ambos como tendo começado de uma forma assim tão errada.

“Suponho que possas dizer isso [que há entrelinhas sinistras no diálogo]. Acho que digo que tinha 16 anos. Não sei”, disse a atriz ao site de notícias de entretenimento. “Foi sempre isso que imaginei, que ela tinha 16 e ele 26. E ele era estudante do pai dela. As coisas são deixadas de forma misteriosa. Nem sequer sabemos o que é.”

E acrescentou: “Quer dizer, eles podiam-se ter beijado algumas vezes e ela ficou completamente deslumbrada, ou ele pode não ter querido envolver-se com alguém tão nova. E talvez o meu pai tenha ficado furioso com ele”.

“O que é ótimo sobre isto é que não sabemos quais são as circunstâncias”, disse ainda Karen Allen. “Obviamente, ela preocupava-se profundamente com ele. Ele também pode ter gostado dela. Mas, no fim, talvez tenha decidido que era uma situação perigosa e não se quis envolver. Quando algo é assim tão vago, podes fazer a interpretação que quiseres. Eu penso na situação como sendo bastante inocente. Quando ela diz ‘Foi errado e tu sabias’, acho que ele a deve ter conduzido àquilo de alguma forma. Mas quando ela diz que era uma criança, acho que ela quer dizer que tinha uns 16 anos ou assim.”

Para concluir, a atriz deixou bem claro: “Não penso nele como um pedófilo”. A cena também ficou conhecida por causa do murro que Marion dá a Indiana Jones, algo que a atriz também abordou na mesma entrevista.

“Bati-lhe algumas vezes. Ele estava ligeiramente irritado. Mas, quer dizer, acontece. Nunca tinha esmurrado ninguém num filme. Por isso eles estavam-me a mostrar como se faz, e eu estava a fazer o meu melhor.”

O quinto filme de “Indiana Jones”, ainda sem título oficial confirmado, vai estrear a 29 de julho de 2022, pelo menos nos EUA. As gravações já arrancaram no Reino Unido. Além de Harrison Ford, o elenco inclui nomes como Mads Mikkelsen, Phoebe Waller-Bridge, Boyd Holbrook, Thomas Kretschmann e Shaunette Renée Wilson.

O filme será dirigido por James Mangold, depois de Steven Spielberg ter deixado o cargo de realizador do projeto, alegando que era preciso sangue novo na saga. O guião, curiosamente, foi co-escrito por Jonathan Kasdan, filho de Lawrence Kasdan, o autor do argumento de “Os Salteadores da Arca Perdida”. Ainda não está nada confirmado sobre a narrativa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT