Cinema

A loucura dos filmes italianos vai invadir as salas de cinema portuguesas

A Festa do Cinema Italiano vai chegar a 15 cidades do País. O ciclo associa-se aos 50 anos do 25 de abril.
Arranca com "Ainda Temos o Amanhã".

Quando o debate se vira para os melhores filmes de sempre, é inevitável não mencionar o neorealismo italiano. O foco em histórias que retratam as dificuldades e lutas da vida quotidiana faz com que, ao longo dos anos, os clássicos se mantenham vivos e sejam regularmente parte de retrospetivas. E permitir, claro, que o público de hoje os possa ver nos grandes ecrãs.

A Festa do Cinema Italiano está de volta a Portugal — e está cada vez maior. A 17.ª edição da iniciativa pretende celebrar e divulgar os filmes produzidos por italianos e i ciclo arranca esta sexta-feira, 12 de abril, mas a programação estende-se até ao mês de junho e passa por mais de 15 cidades.

“Ainda Temos o Amanhã”, de Paola Cortellesi, marca a estreia do evento. É um dos maiores sucessos de bilheteira de 23 e será exibido em três salas do cinema São Jorge, porém, a lotação já está esgotada.

A longa-metragem presta “um tributo aos feitos extraordinários de muitas mulheres comuns que, sem suspeitarem, contribuíram para a construção de uma sociedade mais igualitária”, com estreia prevista em Portugal para 9 de maio.

Até 21 de abril, o programa vai passar ainda por cidades como Almada, Alverca, Barreiro, Beja, Funchal, Leiria, Loulé e Sardoal. O programa está disponível online.

“O acontecimento mais importante em Portugal dedicado à cultura italiana” também se vai associar aos 50 anos do 25 de abril.  Afinal, a data é também comemorada em Itália, onde se comemora o dia do fim da ocupação nazi, que aconteceu em 1945.

É devido a este paralelismo que a Cinemateca Portuguesa também vai receber 11 obras que “pretendem refletir sobre as conquistas democráticas em Itália e celebrar os valores da liberdade e resistência”.

Por Lisboa, vão passar uma série de nomes de peso. Os convidados incluem a realizadora  Jasmine Trinca para apresentar “La Nouvelle Femme”, de Léa Todorov, o ator Riccardo Scamarcio, por conta do filme “A Sombra de Caravaggio”, de Michele Placido e o argumentista e escritor Sandro Veronesi para a apresentação do filme “Comandante”, de Eduardo de Angelis.

O ciclo termina onde começou, na capital, com a exibição do filme “Confidenza”, de Daniele Luchetti, uma adaptação da obra do autor Domenico Starnone.

 

Áudio deste artigo

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT