Cinema

Morreu Robert Towne, argumentista do filme “Chinatown”. Tinha 89 anos

Escreveu aquele que é considerado o melhor argumento de todos os tempos. Morreu esta segunda-feira, 1 de julho.
Tinha 89 anos.

Robert Towne, autor daquele que é considerado o melhor argumento alguma vez escrito — o de “Chinatown” — morreu esta segunda-feira, 1 de julho, aos 89 anos. A sua agente, Carri McClure, confirmou à agência de notícias France-Presse que o argumentista morreu “pacificamente em casa, rodeado pela família”. A causa de morte, segundo a imprensa norte-americana, não foi tornada pública.

O norte-americano começou a trabalhar em Hollywood nos anos 1970. Após ter sido nomeado três anos consecutivos, ganhou um Óscar pelo guião de “Chinatowon” (1974), dirigido por Roman Polanski e protagonizado por Jack Nicholson, Faye Dunaway e John Huston. O filme conta a história de um detetive privado dos anos 1930 cuja investigação à infidelidade de um marido expõe um mundo de corrupção em Los Angeles.

Towne também colaborou nos argumentos de clássicos, como “Bonnie and Clyde” (1967), de Arthur Penn, onde trabalhou como consultor criativo no início da carreira, e “O Padrinho” (1972), de Francis Ford Coppola.

Apesar do seu nome não ter aparecido nos créditos destes dois filmes, Towne chegou a ser saudado no palco dos Óscares por Coppola, que ganhou o prémio para melhor argumento com “O Padrinho”. O realizador prestou-lhe homenagem pela “belíssima cena entre Marlon Brando e Al Pacino no jardim”.

O argumentista também trabalhou com Tom Cruise em “Dias de Tempestade” (1990), de Scott, e nos primeiros capítulos da saga “Missão Impossível”. Ao longo da carreira realizou uma série de filmes e foi ainda consultor na série televisiva “Mad Men”.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT