Cinema

MOTELX: 7 filmes imperdíveis no festival de terror que voltou para assombrar Lisboa

Arranca esta terça-feira e prolonga-se até segunda no Cinema São Jorge. Inclui produções nacionais deste género cinematográfico.
"Bodies Bodies Bodies" é o filme de abertura.

O MOTELX – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa está de volta a partir desta terça-feira, 6 de setembro, e até segunda-feira, dia 12. Como sempre, a 16.ª edição do evento vai decorrer no Cinema São Jorge, na Avenida da Liberdade.

Além das novidades, estão previstas diversas sessões especiais na programação. Por exemplo, vai haver uma sessão de uma cópia recentemente restaurada de “A Praga”, do mestre do cinema de terror brasileiro José Mojica Marins. E a história de como o filme foi perdido e depois recuperado é relatada em “A Última Praga de Mojica”.

O MOTELX vai ainda exibir o primeiro filme de terror português de sempre, “Os Crimes de Diogo Alves” (1911). Esta era uma das produções cinematográficas favoritas do pianista Bernardo Sassetti. Dez anos após a sua morte, e em colaboração com a Casa Bernardo Sassetti, o festival faz uma sessão do filme mudo com música do compositor — interpretada ao vivo por um combo da Escola Superior de Música de Lisboa no Teatro São Luiz, nesta quarta-feira, dia 7.

Outra das principais iniciativas é a publicação do livro “O Quarto Perdido do MOTELX – Os Filmes do Terror Português (1911-2006)”. Trata-se de um registo de todos os filmes associados ao género terror feitos em Portugal até 2006 — ano que antecedeu a primeira edição do MOTELX. O trabalho de pesquisa fora iniciado em 2009.

No âmbito deste projeto de valorização e celebração do terror nacional, o festival vai exibir três filmes do produtor Paulo Branco, que constam do livro: “O Convento” (1995), de Manoel de Oliveira; “O Fascínio” (2003), de José Fonseca e Costa; e “Coisa Ruim” (2006), de Tiago Guedes e Frederico Serra. Paulo Branco estará presente para falar sobre as suas experiências enquanto produtor.

Depois da tradicional programação de warm-up, que se estendeu a outros locais de Lisboa, o MOTELX acontece no Cinema São Jorge em toda a sua plenitude. A NiT selecionou sete filmes novos que vale a pena descobrir no festival. Pode conhecer o programa completo no site oficial do evento.

“Bodies Bodies Bodies”, Halina Reijn

É a sessão oficial de abertura do MOTELX deste ano. Neste slasher de verão dos muito conceituados estúdios A24, o enredo centra-se num grupo de jovens ricos com 20 e poucos anos que planeia uma grande festa numa remota mansão de família. Um jogo durante a festa torna-se fatal — o que vai fazer com que a festa, repleta de amigos falsos, corra muito mal. Esta sátira à geração Z é protagonizada por nomes como Amanda Stenberg, Maria Bakalova e Pete Davidson.

Para ver: 6 de setembro, 21h30 

“Os Demónios do Meu Avô”, Nuno Beato

Esta produção nacional combina animação tradicional com stop-motion. Inspira-se nas figuras de barro da ceramista Rosa Ramalho e conta com um argumento do escritor Possidónio Cachapa. A narrativa centra-se em Rosa, uma profissional exemplar, que dedica a sua vida ao trabalho. A morte do avô, de quem inevitavelmente se tinha afastado, provoca-lhe um enorme ataque de stress, que põe em causa as suas escolhas e a visão que tinha da vida. Rosa decide abandonar a cidade e rumar ao sítio da sua infância, a paisagem de Trás-os-Montes. Mas não está sozinha. Fazem-lhe companhia um grupo de demónios de barro modelados pelo seu avô que parecem ganhar vida. O filme acaba por apelar a uma vida menos virtual e mais ligada à terra — e às pessoas.

Para ver: 7 de setembro, 19h

“Óculos Escuros”, Dario Argento

Um dos mestres do terror italiano, Dario Argento, é um dos convidados especiais desta edição do MOTELX. Vem apresentar o seu novo filme, o primeiro em 10 anos, que se centra numa jovem acompanhante que perdeu a visão enquanto escapava de um serial killer que atacava prostitutas em Roma. Após o choque inicial, está determinada a prosseguir a sua vida — e terá a ajuda do jovem rapaz Chin, que também sobreviveu ao acidente que a tornou invisual. Mas os dois terão de enfrentar a fúria do assassino que está no seu encalço. A filha Asia Argento faz parte do elenco.

Para ver: 8 de setembro, 21h20 

“Criança Lobo”, Frederico Serra 

A partir de uma série prevista para estrear na RTP em 2023, “Lusitânia”, o MOTELX exibe “Criança Lobo”, de Frederico Serra (co-autor de “Coisa Ruim” ou “Entre os Dedos”, com Tiago Guedes). A série irá relatar histórias baseadas em lendas e mitos do folclore nacional. “Criança Lobo” foi gravado no Sabugal, num ambiente do Portugal profundo, centrado numa criança muito desejada e nascida numa noite de Lua cheia. Quando cresce e desenvolve a sua natureza animalista, é perseguido pelos aldeões. Acaba por formar uma amizade com uma jovem bruxa. Juntos tentarão quebrar a maldição e encontrar o seu lugar no mundo.

Para ver: 8 de setembro, 19h; 9 de setembro, 21h10

“O Corpo Aberto”, Ángeles Huerta

Nesta co-produção entre Espanha e Portugal, a história passa-se em 1909. Um jovem professor chamado Miguel é colocado numa pequena cidade na fronteira. Lobosandaus é um lugar inóspito, com pessoas distantes habituadas a tradições remotas. À partida, não parece o sítio certo para Miguel, um homem das luzes, interessado em espalhar o conhecimento. Porém, à medida que se vai deixando encantar pela enigmática Dorinda e que o inverno avança, vai sentir a escuridão a aproximar-se. A morte inesperada de um dos residentes promete provocar um grande impacto naquela terra — e abrir as portas para uma presença fantasmagórica.

Para ver: 10 de setembro, 21h55

“Final Cut”, Michel Hazanavicius

O realizador do aclamado “O Artista” é o autor de “Final Cut”. Num edifício abandonado, uma equipa grava um filme de terror de baixo orçamento. Graças às suas atitudes detestáveis, o cineasta é odiado pela equipa. A certo ponto desvenda o seu plano de libertar uma maldição zombie. Os atores terão de lutar contra os mortos-vivos e o realizador pelas suas vidas. Trata-se de um remake do filme japonês “One Cut of the Dead”, com nomes grandes do cinema francês como Romain Duris e Bérénice Bejo.

Para ver: 11 de setembro, 18h05

“Resurrection”, Andrew Semans

A sessão de encerramento do MOTELX acontece com este “Resurrection”. Com Rebecca Hall e Tim Roth no elenco, a história foca-se em Margaret, uma mulher que conseguiu equilibrar da melhor forma a sua carreira ocupada com o desafio de ser mãe solteira — sobretudo de uma filha ferozmente independente. A sua rotina bem-sucedida é abalada, contudo, quando vislumbra um homem do seu passado. Aos poucos, começa a vê-lo repetidamente, em todo o lado — e claro que não se trata de qualquer coincidência. Margaret terá de confrontar o “monstro” que conseguiu evitar durante 20 anos.

Para ver: 11 de setembro, 21h

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT