Cinema

Na China, Keanu Reeves não existe — e a culpa é do governo

As posições políticas do ator irritaram o governo de Xi Jinping, que bloqueou todas as referências a Reeves na Internet.
É a vida, Keanu

É o “nice guy” de Hollywood. Tira selfies com todos os fãs, esteja onde estiver — e faz sempre questão de nunca tocar nas mulheres. Teve uma vida trágica, é um dos atores mais cobiçados do planeta e mesmo assim mantém-se humilde como poucos. O que há para não adorar em Keanu Reeves?

Ao que parece, há um grupo de governantes chineses que discordam e que partilham uma antipatia particular pelo ator, ao ponto de fazerem questão de remover toda e qualquer referência a Reeves dos aparelhos de 1,4 mil milhões de pessoas.

Quem pesquisar no Google pelo nome do autor, encontrará uma página em branco. Nas plataformas de streaming acessíveis aos chineses, todos os filmes com o ator foram removidos. Tudo porque Reeves ousou participar num evento organizado pela Tibet House, uma associação sem fins lucrativos, criada pelo Dalai Lama, para tentar preservar as tradições, filosofia e cultura do Tibete.

O território, ocupado pela China desde 1949, continua a reclamar a sua independência, que continua a não ser reconhecida pelo governo chinês. O tema é, portanto, delicado para os governantes do país asiático.

Reeves não é, contudo, o único a merecer esta honra. Junta-se a uma lista que inclui nomes como Brad Pitt, Lady Gaga ou Selena Gomez.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT