Cinema

Cineclub em Alvalade vai fechar por “dificuldades de gestão e falta de meios”

O projeto funcionava desde 2019, no Centro Cívico Edmundo Pedro, nos cinemas Fernando Lopes e Ideal, em espaços ao ar livre e bibliotecas.
Havia programação regular em vários cinemas.

O Cineclube de Alvalade vai fechar. O anúncio foi feito pela direção, após cinco anos a trabalhar no ramo. As dificuldades de gestão e a falta de meios para profissionalizar o projeto “de base cívica” foram os motivos apontados.

“As duas sessões de dezembro serão as últimas deste distinto cineclube nos próximos tempos. A partir de janeiro paramos, e não sabemos por quanto tempo. Vai ser algum. Talvez muito”, explicam os responsáveis num comunicado partilhado nas redes sociais.

O projeto foi criado em 2019, para colmatar “a falta de oportunidades para ver filmes ‘não-mainstream’”. Apostaram numa programação regular, no Centro Cívico Edmundo Pedro, nos cinemas Fernando Lopes e Ideal, em espaços ao ar livre, em sociedades recreativas e bibliotecas municipais.

“Vamos parar porque somos tão crescidinhos que não temos problemas em assumir que isto tudo, esta cena toda de viver, não é bola prá frente e sigam os coxos. Parar não implica sofrer com. Da mesma forma que seguir não implica sofrer por.”

A última sessão será dia 14, com “Retratos Fantasmas”. “Um filme sobre cinemas, e sobre o amor, e o que somos dentro dos cinemas, e como a nossa vida se pode cruzar com cinemas, como construímos memórias dentro das suas câmaras.”

Porém, ainda vão abrir uma exceção. Em janeiro, haverá uma mostra final de “Cinedojo” no cinema Turim, e acredita que poderá trazer “eventualmente sessões ‘pop-up’ noutros espaços de exibição independentes, para debater o panorama de exibição não comercial e a importância de abrandar e parar nos dias que correm”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT