Cinema

O DocLisboa está de volta — diferente, solidário e mais longo do que nunca

Durante o festival vai decorrer uma recolha de bens de primeira necessidade para um setor em dificuldades.
Documentários sobre mil e um assuntos.

É esta quinta-feira, 22 de outubro, que começa a 18.ª edição do festival DocLisboa. Em ano de pandemia, há centenas de obras para ver em sala mas também online. O festival conta com um primeiro módulo a decorrer até 1 de novembro. Durante este período há uma ação solidária a decorrer. Já durante o resto do mês de novembro, começa o segundo de vários módulos do festival, com exibições previstas até março.

A organização realça que 2020 “tem sido um ano de maior fragilidade para muitos e muitas das profissionais da área técnica de espetáculos, do cinema e do audiovisual”. Por essa razão, o festival “vai unir esforços com o Cinema São Jorge, a Culturgest e o Teatro do Bairro Alto para uma recolha de alimentos não-perecíveis e bens de higiene destinados à União Audiovisual”.

Num ano como nenhum outro, esta é também uma edição de resistência e criatividade. Ao todo serão apresentadas 206 obras, 31 delas em estreia mundial, repartidas por uma programação em sala e também online. O Nebulae será um espaço de networking no Doclisboa que apresentará atividades abertas ao público em live streaming no YouTube e Facebook do festival.

Depois desta primeira fase de abertura, os fãs do festival podem preparar-se para a mais longa edição de sempre, distribuída em módulos mensais. Todos os meses até março há uma semana que pode ser reservada para as novidades em sala do festival. A programação completa está disponível no site do DocLisboa.

O festival começa na noite desta quinta-feira em terras da Amazónia. A sessão de abertura será na Culturgest com a exibição de “Nheengatu — A Língua da Amazônia”, filme que nos remete para a língua imposta aos índios pelos antigos colonizadores.

“Através desta língua misturada, o nheengatu, e dividindo a filmagem com a população local, o filme constrói-se no encontro de dois mundos”, explica-se na descrição do projeto. A Geórgia vai ter direito a lugar de destaque na edição deste ano, com obras de realizadores que nos revelam este país situado entre a Europa e a Ásia, desde a ocupação soviética até ao presente.

Há sessões na Culturgest e no Cinema São Jorge com bilhetes a 4,50€; e na Cinemateca por 3,20€. Há ainda cadernetas de vouchers que poderá trocar depois na bilheteira pela sessão que quer. Os preços das cadernetas são de 16€ para cinco filmes, 30€ para dez filmes e 55€ para 20 filmes. Tem também uma série de descontos disponíveis — basta consultar as várias condições no site. Desempregados, estudantes, menores de 30 anos ou maiores de 65 são algumas das opções que permitem desconto nas entradas.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT