Cinema

O documentário sobre o assassino mais macabro da história chega à televisão portuguesa

Ed Gein matava as vítimas e usava os seus órgãos e pele como decorações e máscaras.
Inspirou a personagem Leatherface.

Buffalo Bill de “Silêncio dos Inocentes”, Leatherface em “Massacre no Texas” e Norman Bates em “Psycho” são três das personagens mais marcantes dos filmes de terror. Pode parecer improvável, mas todos eles têm algo em comum: o homem que os inspirou. Chamava-se Ed Gein e os seus macabros crimes deram origem a um documentário que será transmitido esta sexta-feira, 1 de julho, pelas 23 horas no canal ID.

Ed Gein era um pacato mas bizarro agricultor que vivia em Plainfield, Winsconsin. A sua mãe, bastante autoritária, morreu em 1945, altura em que ele começou a estudar anatomia, ao mesmo tempo que roubava corpos de mulheres de cemitérios locais. Em 1954, Gein fez a sua primeira vítima, uma cabeleireira. Pegou no seu corpo, colocou-o num trenó e transportou-o para casa.

A 16 de novembro do mesmo ano, matou outra mulher. O seu filho, um polícia, começou a suspeitar de Gein, que era uma pessoa bastante fora do normal. Quando as autoridades organizaram uma busca à sua quinta, ficaram chocados com o que encontraram: órgãos no frigorífico, um coração no fogão e cabeças que tinham sido transformadas em taças de sopa. Gein também usou pele humana para decorar cadeiras e chegou mesmo a usar o rosto das suas vítimas na sua própria cara (algo que o ínfame Leatherface também faz).

Embora se acredite que tenha feito muitas mais vítimas, apenas admitiu ter assassinado estas duas mulheres. Em 1958, foi declarado mentalmente doente e colocado no manicómio, onde permaneceu até morrer em 1984, aos 77 anos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT