Cinema

“Paternidade” é o novo filme da Netflix protagonizado por Kevin Hart

Estreou na plataforma de streaming esta sexta-feira, 18 de junho, e é baseado numa comovente história real.
O filme tem 1h49 de duração.

Chama-se “Paternidade” e é o novo filme da Netflix protagonizado por Kevin Hart. É provavelmente o papel mais dramático de sempre interpretado pelo ator e comediante americano de 41 anos, embora também tenha vários momentos cómicos pelo meio.

Baseado numa história real, o filme começou a ser preparado pelos estúdios da Sony em 2015 — na altura, Channing Tatum ia ter o papel de pai protagonista. Kevin Hart acabou por ficar com o papel, alegando na altura que lhe interessava interpretar um papel deste género, que muitas vezes não é feito por atores negros.

Vários órgãos de comunicação social, contudo — incluindo, por exemplo, o jornal “The Guardian” —, apontaram o dedo a Kevin Hart, dizendo que o objetivo era melhorar a sua imagem pública, depois da controvérsia que houve com os seus antigos tweets homofóbicos, que fizeram com que perdesse o seu lugar na apresentação da cerimónia dos Óscares. O casting para este filme coincidiu com esse período.

Paul Weitz realiza esta produção centrada nas vidas reais de Matthew e Liz Logelin, que em 2008 tiveram uma filha chamada Madeline — embora mais tratada por Maddy. A bebé nasceu saudável e o casal, que estava junto desde o liceu, ficou feliz. Só que, apenas 27 horas após o parto, Liz morreu de forma inesperada, vítima de um embolismo pulmonar. 

Matthew tornou-se, por obrigação, pai solteiro a partir desse momento. E foi relatando os diferentes desafios e dificuldades de criar uma criança sozinha, quase desde o início, num blogue que começou a atrair seguidores. Em 2011 publicou um livro de memórias onde contava a sua história, “Two Kisses for Maddy: A Memoir of Loss & Love”, que atraiu atenção e cujos direitos de adaptação foram comprados.

Portanto, “Paternidade” retrata esta história — a vida de Matthew como pai solteiro em luto, o apoio da família e da comunidade para criar a criança, e acompanha o crescimento de Maddy (uma fase que, obviamente, já não aparece no livro de memórias, publicado quando a criança tinha apenas três anos).

Um dos temas principais da narrativa é que Maddy, criada numa escola católica prestigiada, está cada vez mais num processo de auto-descoberta e a dar por si a querer desafiar naturalmente certos estereótipos ou comportamentos de género. Por exemplo, prefere roupa vendida para rapaz nas lojas e quer usar calças com o seu uniforme escolar — em vez da obrigatória saia para as raparigas alunas.

A personagem de Kevin Hart é totalmente paciente, com uma mente aberta, e apoiante de todos os desejos da filha — é o pai perfeito que só comete erros menores totalmente compreensivos, e é esta devoção paternal que acompanhamos ao longo de uma hora e 49 minutos de enredo. Sendo que Matthew também acaba a dar por si a interessar-se por outra mulher, a primeira desde a morte da mãe de Maddy.

O elenco inclui ainda Lil Rel Howery, Anthony Carrigan, DeWanda Wise, Paul Alexander Désiré, Rodney Alexandre e Julian Casey, entre outros.

Carregue na galeria para conhecer as principais séries que estreiam neste mês de junho na televisão e nas plataformas de streaming.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT