Cinema

Pedro Boucherie Mendes entrevista Bruno Aleixo para a NiT

Esta quinta-feira estreia nos cinemas “O Filme do Bruno Aleixo”, o pretexto para esta conversa memorável.
O filme vai ter várias sessões especiais com os realizadores.

Mais de dez anos depois de ter nascido, pela mão de João Moreira e Pedro Santo, a personagem de Bruno Aleixo chega ao cinema. “O Filme do Bruno Aleixo” estreia esta quinta-feira, 23 de janeiro. Foi realizado e escrito pelos seus criadores.

A produção foi gravada entre a Bairrada e Coimbra (de onde é natural Bruno Aleixo). Gonçalo Waddington, Rogério Samora, Adriano Luz e José Raposo são alguns dos atores que participam nesta história. O apresentador Fernando Alvim também vai aparecer — a personagem de Aleixo foi originalmente criada para um sketch seu que nunca chegou a ir para a frente.

Depois de estrear nos cinemas, vai ser adaptado à televisão para ser transmitido na SIC Radical. A ideia é criar uma minissérie de seis episódios, que misture animação e imagem real. O enredo centra-se em várias histórias da vida da personagem. Ao mesmo tempo, a ideia é ser uma homenagem ao cinema, com várias referências à cultura pop.

Apesar de ser uma produção de cinema, Bruno Aleixo e as personagens habituais deste universo continuam no mesmo registo: só mexem a boca e os olhos. 

Se estiver interessado no filme, não perca uma das várias sessões especiais dos próximos dias que vão contar com a presença de João Moreira e Pedro Santo para falarem sobre a narrativa e a personagem. Vão acontecer em Lisboa (dia 23, 22h, Cinema Ideal); Leiria (dia 24, 20h, Cinema City); Coimbra (dia 25, 16h40, Alma Shopping); Aveiro (dia 25, 21h20, NOS Glicínias); Guimarães (dia 26, 17h30, Guimarães Shopping) e Porto (dia 26, 19h30 e 21h30, Cinema Trindade). 

Depois de a NiT ter entrevistado o próprio Bruno Aleixo em 2017, convidámos agora Pedro Boucherie Mendes, diretor de Planeamento Estratégico da SIC e diretor da SIC Radical (além de grande fã de Bruno Aleixo), para fazer uma entrevista à personagem. Este é o resultado.

Bruno, agora que tens um filme, consideras-te alguém de meia idade bem conservado ou um jovem gasto?
Sou um sessentão enxuto. E nem são palavras minhas, são coisas que me disseram. Dantes dava para mentir sobre a idade, mas desde que apareceu essa porcaria da Internet já ninguém pode ter segredos.

Bruno, tens cartão Continente?
Não. Esses cartões ficam com os nossos dados. Ninguém tem nada de saber que detergentes é que eu compro. Ou pior, alguém a ver as minhas compras num computador e a pensar “Olha, o Dr. Bruno Aleixo compra molho bolonhesa de frasco, em vez de fazer em casa!” Imagina a vergonha!

Bruno, há uma dúvida eu discute amiúde com meus familiares e talvez possas ajudar, amaciador a seguir ao champô sempre ou amaciador a seguir ao champô uma vez por outra?
Amaciador é só quando o cabelo começa a ficar áspero. Antes disso, não me lembro. É como as toalhas, não é? Só nos lembramos de pôr amaciador de roupa quando nos começam a arranhar…

Bruno, quem te faz o IRS?
É um contabilista certificado. Chamado Ricardo. Ricardo não sei quê, eu chamo só Ricardo. É um dos mais conceituados da nossa praça. E é um contabilista a quem eu ganhei uma aposta válida até ao fim da vida.

Bruno, tendo tempo, lês blogues ou assistes a filmes?
Blogues nunca percebi se era uma coisa que existia mesmo. Mas às vezes vejo filmes e às vezes até gosto. Olha, espero é que nunca façam filmes sobre blogues. Agora parece que há filmes de tudo ou o carago. 

Bruno, preferias saber tudo o que há para saber sobre todos os menus de todos os restaurantes chineses em todo o mundo ou fazer um segundo filme mas sem o Renato nem o Busto?
Preferia a primeira que tu disseste. Parece-me uma coisa boa para ganhar apostas. Além disso, o Renato e o Busto são dois nabos, mas pelo menos são dois nabos que eu já conheço. Têm esse mérito. Já não me surpreendem muito na sua nabice. À partida, já sei que nível de nervos é que me vão dar. Quero isso dos chineses. Se calhar até dava para ir àqueles concursos de talentos e ganhar. 

Bruno, podes confiar mais facilmente em alguém de Condeixa ou em alguém de Tavira? E se a pessoa de Tavira tiver nascido em Vila Real e tiver vindo para Tavira muito pequeno?
Não gosto muito de associar confiança ou falta dela a terras específicas… O Busto até é de Condeixa, mas…  Pá, já comprei um terreno a uma pessoa de Condeixa e correu bem. Também já pedi indicações a uma pessoa de Vila Real e também correu muito bem. Aquele era mesmo o caminho mais rápido para o restaurante que eu estava à procura. Portanto, não sei. Mas nascer em Vila Real e ir para Tavira muito pequeno dá para desconfiar um bocado. Uma pessoa fica a pensar se os pais dessa pessoa não estariam a fugir de alguma coisa. E em princípio estariam. Mais vale não arriscar e pensar assim.

Bruno, se fosses tu a mandar, como seriam os equipamentos nas equipas nos matraquilhos?
Seria o primeiro equipamento do União de Coimbra contra o primeiro equipamento do Montijo, para recordar a gloriosa final da II Divisão que nós limpámos por 2 a 1, em 1972. União equipa de azul e vermelho, Montijo equipa à Paços. E, se fosse eu a mandar, haveria um matraquilho a mais, no meio da mesa. Um matraquilho árbitro. Para ser mais real. Os jogos de computador estão cada vez mais realistas, os jogos de café também têm de estar. 

Bruno, preferias participar numa peça de teatro do Gil Vicente com o Chuck Norris ou tomar um drinque na piscina do Ronaldo com o Messi, enquanto o Ronaldo ia comprar limas ao supermercado?
Teatro já é uma seca de ver, imagino participar. Ainda deve ser pior. Prefiro beber um drinque na piscina. Nem precisa ser o Messi nem o Ronaldo, até podem ser dois transeuntes sorteados na hora.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT