Cinema

A produtora milionária de Harry e Meghan que nos quer colar ao ecrã e aos headphones

Além da fundação, a Archewell assinou parcerias milionárias com Netflix e Spotify. Ainda só há um episódio disponível, mas mais coisas virão.
Os duques já têm um novo emprego

“A Netflix e o Spotify, nunca fizeram parte dos planos”, revelou Harry enquanto tentava justificar a decisão da saída da família real britânica. “Não tínhamos um plano”, reforçou Meghan Markle. A verdade é que o plano, não o do já célebre Megxit, mas o da entrada dos duques de Sussex em Hollywood, está em andamento.

Ao fim de três meses em Los Angeles, o casal real mostrou ao que vinha e tornou pública a criação da Archewell, uma organização que é parte fundação, parte produtora de conteúdos. Conteúdos esses que servirão para suportar as necessidades financeiras da família.

“[Quando decidimos abandonar a família] não tínhamos um plano. Quando eles me excluiram financeiramente, foi-me sugerido que apostasse nisso. E eu tinha que ser capaz de pagar pela nossa segurança”, explicou na famosa entrevista a Oprah Winfrey.

Ainda antes do corte de relações e do abandono de Harry e Meghan, o casal preparava o lançamento da sua fundação, a Sussex Royal, que acabaria por ser desmantelada e dissolvida. Depois da tempestade do anúncio e da mudança para o outro lado do Atlântico, os duques decidiram fundar a Archewell — que seria, mais do que uma fundação, uma produtora de conteúdos.

Os seus apelidos nomes famosos abriram imediatamente as portas de gigantes como a Netflix e Spotify. De acordo com o “The New York Times”, o valor do acordo com a plataforma de streaming poderá rondar os 100 milhões de euros — sendo que esses seriam os valores comentados nas conversações que tiveram também com a Apple e a Disney. No caso da empresa de streaming de música, especula-se que o negócio possa ter rendido perto de 20 milhões de euros.

A inspiração para a Archewell é relativamente óbvia. Além da clara alusão ao nome do filho, Archie, assenta também na palavra grega arche, que significa origem ou fonte de ação. “Fazer algo com significado, fazer algo que importa. Archewell é um nome que combina uma palavra antiga de força e ação e outra que evoca os profundos recursos pessoais a que devemos recorrer”, explicam.

O lançamento deveria ter acontecido em meados de 2020, mas a explosão do movimento Black Lives Matter e, claro a pandemia, obrigaram a alterar o timing. Mas a cortina abriu-se no final do ano, quando o site oficial foi inaugurado, com fotografias de ambos e das respetivas mães em destaque.

Para lá do trabalho de caridade que pretendem promover através do ramo da fundação, sem fins lucrativos, Harry e Meghan estão ativamente a trabalhar também no outro lado mais visível: o que irá dar-nos mais coisas para ver na Netflix e para ouvir no Spotify.

A Archewell Productions foi criada para, nas palavras dos próprios, “produzir programas que informem, elevem e inspirem”. Explicam que querem “usar o poder da narrativa para que possamos abraçar a humanidade e o dever para com a verdade, sempre através de um olhar solidário”.

A equipa da Archewell parece estar a fortalecer-se. Além de Harry e Meghan, os duques terão contratado a antiga responsável pela comunicação do Pinterest e da Apple, Christine Schirmer.

Em declarações a Oprah Winfrey, Meghan esclareceu qual o poder que ambiciona para a organização. “A vida é uma narrativa, contar histórias, certo? É sobre as histórias que contamos a nós próprios, que nos contaram, as histórias em que acreditamos”, explicou. “Queremos dar voz a muitas pessoas que não têm representação, que não são ouvidas.”

O braço da Archewell que já tem material para mostrar é o Audio, com pelo menos um podcast com um episódio. A parceria exclusiva com a Spotify começou a ser desvendada num spot promocional onde os duques aparecem pela primeira vez ligados a este projeto.

“Queremos usar o podcasting para dar força a conversas poderosas que inspiram, desafiam e educam (….) para elevar vozes que talvez não estejam a ser ouvidas, ouvir as histórias das pessoas”, explica Meghan no vídeo promocional.

Depois de um pequeno e introdutório podcast de dois minutos, a grande estreia aconteceu a 29 de dezembro, com um especial de Ano Novo recheado de convidados. Nele participaram nomes como Elton John, James Corden, Deepak Chopra, Naomi Osaka ou Tyler Perry. E, claro, o pequeno Archie, que fez a estreia pública com as primeiras palavras oficiais: “Bom Ano Novo”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT