Cinema

Ridley Scott podia ter realizado “Dune” — mas não gostou do local das filmagens

A cidade onde iriam gravar era "fedorenta" e o chão do estúdio era terra. Nada que agradasse ao realizador de "Casa Gucci".
O filme acabou por ser lançado em 1984.

“Dune” é um daqueles casos em que o livro original vendeu milhões de cópias e se tornou num enorme sucesso, enquanto que a primeira adaptação ao cinema filme acabou por ficar aquém das expectativas. Apesar de a última versão ter enorme número de fãs, o caminho até ao primeiro filme da história escrita por Frank Herbert não foi nada fácil — por ele passaram várias pessoas que acabaram por sair da produção.

O desejo de dar uma nova vida a “Dune” começou em 1971. Numa primeira tentativa, o produtor seria Arthur P. Jacobs, que acabou por morrer em 1973 devido a um ataque cardíaco. Alejandro Jodorowsky também decidiu investir no projecto, tendo já uma linha do que gostava de fazer, que desenvolveu ao longo de vários anos. Se havia esperança de os fãs de “Dune” poderem um dia ver a história ganhar vida no ecrã,  ela foi rapidamente se apagou pela falta de fundos para a adaptação de 14 horas de Jodorowsky.

Os direitos do filme passaram então para Dino De Laurentiis, um produtor italiano que acabou por trazer Ridley Scott para o projeto. Uns anos depois de formarem uma parceria, o realizador de “Alien” decidiu seguir por outros caminhos, sem nunca ter explicado exatamente o que o levou a abandonar a produção.

Porém, numa nova entrevista para promover “Casa Gucci”, o seu novo filme, Ridley Scott abordou os motivos que o fizeram abandonar a primeira adaptação do filme então protagonizado por Kyle MacLachlan.

“Sempre foi filmável. Tinha um guionista chamado Rudy Wurlitzer, que já tinha escrito dois filmes: ‘A Estrada Não Tem Fim’ com o James Taylor e ‘Duelo na Poeira’ com o Bob Dylan e o Kris Kristofferson. Fizemos uma abordagem muito boa ao ‘Dune’, porque trabalhei com uma grande proximidade ao guionista. Adaptava sempre a imagem do filme ao que ele escrevia”, contou ao “Total Film”.

“Depois, o Dino De Laurentiis chamou-me e dissemos-lhe: ‘fizemos um guião bom como tudo’. Ele respondeu que era muito caro e que teríamos de filmar no México. Eu disse ‘o quê?’ Ele respondeu ‘México’ e eu nem queria acreditar. Mandou-me para a cidade do México. E com todo o respeito para com a cidade: naquela altura era muito fedorenta. Não gostei. Quando cheguei ao estúdio vi que o chão era terra. Foi aí que disse ‘não, Dino. Não quero fazer disto uma miséria.’ Então decidi afastar-me”, revelou.

O remake de “Dune” com Timothée Chalamet e Zendaya foi uma das estreias mais esperadas deste ano. E está a ser um sucesso, um pouco por todo o mundo — muito provavelmente a razão pela qual Riddley Scott foi questionado sobre o seu envolvimento inicial na primeira tentativa de adaptação cinematográfica.

Carregue na galeria para descobrir outros filmes que chegarão aos cinemas nacionais em 2021.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT