Cinema

Salma Hayek: “Tive aulas com uma amiga para perceber melhor o universo da Marvel”

A NiT falou com 4 dos protagonistas de “Eternals”, novo filme da saga de super-heróis.
O filme tem 2h37 de duração.

É uma das grandes estreias deste mês de novembro. “Eternals”, o mais recente capítulo na longa odisseia da Marvel, chegou aos cinemas a 4 de novembro. Centra-se num grupo de super-heróis que são enviados para a Terra, ainda durante a pré-história, para proteger os humanos dos monstruosos Deviants.

Além desse objetivo, não devem fazer mais nada: foram instruídos para não interferir noutros conflitos. Assim se justifica a sua ausência de todos os acontecimentos retratados nos restantes filmes da Marvel. Quando os Deviants voltam a ser uma ameaça, os protagonistas descobrem um segredo guardado desde sempre pela líder.

Isso vai colocá-los num dilema — que terá várias reviravoltas — defender os humanos ou obedecer às ordens que são obrigados a cumprir. Durante todo este tempo têm vivido escondidos entre os humanos, interferindo nalguns dos maiores acontecimentos da história do mundo.

A NiT entrevistou quatro dos atores protagonistas: Salma Hayek, Richard Madden, Kumail Nanjiani e Gemma Chan. Todos eles interpretam Eternals — nesta produção dirigida por Chloé Zhao, cineasta que venceu este ano o Óscar de Melhor Realização após o trabalho que fez em “Nomadland – Sobreviver na América”.

Hayek interpreta a líder Ajak, que tem habilidades de cura e é quem faz a ponte com a criatura divina Celestial, responsável por enviar estes super-heróis para a Terra. Kumail Nanjiani é Kingo, um herói que dispara bolas de fogo com as mãos e que construiu uma dinastia em Bollywood no seu tempo na Terra. Richard Madden faz de Ikaris, personagem forte dentro do grupo, que voa e dispara lasers dos olhos. E Gemma Chan é Sersi, uma heroína que está no centro da narrativa e que consegue transformar objetos noutras substâncias.

“Antes da história, o que me atraiu neste filme foi a realizadora. Sou uma enorme fã”, explica à NiT Salma Hayek, a célebre atriz de 55 anos. “Fiquei muito entusiasmada por fazer parte do primeiro filme de super-heróis completamente diverso. Adoro a minha personagem, gosto que seja líder, que veja a sua missão como uma mãe veria a missão de liderar as suas crianças. Com a mesma empatia, carinho e compreensão. E está numa situação comum a muitas mães em todo o mundo: tem de tomar decisões mesmo muito difíceis.”

Kumail Nanjiani (“The Big Sick”) partilha da mesma visão. Foi a possibilidade de trabalhar com a realizadora Chloé Zhao e o facto de ter reunido um “elenco incrível” que também o levaram a querer fazer parte deste projeto. Mas não só. “Sou um grande fã do MCU, por isso a ideia de interpretar um super-herói da Marvel que é, simultaneamente, uma estrela de cinema de Bollywood… Parece que todos os meus sonhos se concretizaram ao mesmo tempo”, diz o ator paquistanês e americano de 43 anos.

Richard Madden, conhecido pelos papéis em “A Guerra dos Tronos” e “Bodyguard”, aborda o facto de poder interpretar uma personagem com muita, mesmo muita experiência de vida. “Como atores, queremos muito fazer este tipo de coisas. Interpretar alguém que está vivo há sete mil anos, que viu e fez tanto, é algo muito interessante. Como conseguir dar aquela alegria de todos os dias a esta personagem, que viveu tantas vidas numa só.”

Já Gemma Chan (que também fez parte de “Asiáticos Doidos e Ricos”) revela que foi uma das últimas atrizes a serem escolhidas. “Por isso, sabia exatamente com quem ia trabalhar.  E estava muito entusiasmada com a possibilidade de contracenar com o meu grande amigo Richard, com quem nunca tinha tido oportunidade de colaborar.”

Quanto à preparação para as respetivas personagens, Kumail Nanjiani conta que começou um ano antes do início das gravações. “Preparei-me muito fisicamente, queria aparecer com uma determinada forma física. Comecei a treinar assim que consegui o papel, um ano antes de começarmos a gravar. Como cresci a ver filmes de Bollywood, conhecia-os, mas assisti a muitas entrevistas com enormes estrelas. Estima-se que um dos atores tenha dois mil milhões de fãs em todo o mundo. Mais de um quarto do mundo são fãs deste tipo. Vi  muitas entrevistas para perceber o quão confiantes são.”

Por sua vez, Salma Hayek explica que uma das partes mais importantes para si foi discutir o seu papel com Chloé Zhao. “Tentar perceber mesmo bem qual era a visão dela em relação à minha personagem. Porque na banda desenhada é um homem. Não sabia nada sobre os ‘Eternals’, por isso tive de fazer alguma pesquisa. Não muita, porque percebi que não estou a interpretar aquele Ajak. Estou a interpretar uma Ajak diferente. Tenho uma amiga (uma realizadora mexicana) que é uma completa geek da Marvel. Tive de ter algumas aulas com ela [risos], para perceber melhor este universo. Gostava, tinha visto os filmes, mas não era especialista na matéria.”

Gemma Chan diz que fizeram o exercício de imaginar o que as personagens teriam feito ao longo dos milénios, de forma a construir melhor os papéis. “O que poderia ter acontecido às nossas personagens naquelas partes que não estão no guião? Nos períodos que não são na história: onde estiveram? No antigo Egito, no Império Romano, estiveram lá?”

Richard Madden e Gemma Chan são dois dos protagonistas de “Eternals”.

Madden destaca a preparação física exigida para o papel. “Tive de aprender a usar estes diferentes tipos de arneses e equipamentos, como me fazem voar e me viram e me fazem deixar cair… Foi um novo conjunto de habilidades para mim,  aprender  a fazer este tipo de manobras acrobáticas.”

Questionado sobre se representar um super-herói da Marvel nos dias de hoje é um papel que transforma a carreira de um ator, Richard Madden rejeitou a ideia. Mas elogiou as condições de trabalho de uma produção milionária como esta. “Tento não pensar nisso como mudança de carreira. Tento não olhar como se estivesse no exterior, desse ponto de vista… É mais sobre poder trabalhar com pessoas interessantes, uma realizadora estimulante, nesta escala enorme. Num trabalho destes tens tempo e espaço para criar — e muitas vezes [noutras produções] temos quer ter muita pressa a trabalhar.”

Em relação ao maior desafio de participar neste filme, Salma Hayek fala na tempestade de areia que enfrentaram durante as gravações. “Tivemos de fazer uma cena em que havia uma tempestade de areia. Eu tinha uns saltos altos e estava muito preocupada, podia voar… Era a primeira vez que estávamos a gravar todos juntos. Eles apagaram-na, tu não vês a areia, mas os nossos olhos estavam a piscar tanto… Porque estavam a ser esfaqueados pela areia. Parece que não é nada, mas era quase impossível estar ali de pé parada, sem fechar os olhos. Foi bizarro. Uma coisa simples mas que foi muito difícil.”

Gemma Chan destacou o facto de, como as gravações aconteceram sobretudo em locais reais — e não em estúdio —, tinham pouco tempo de filmagens por causa das condições de luz. O que fez com que os atores fizessem poucos takes. 

Já Richard Madden destaca um detalhe sobre o enredo. “Este filme é muito guiado pela narrativa. E, por isso, um dos desafios foi tentar mostrar as relações entre personagens quando não tínhamos muito tempo de ecrã para o fazer. Foi tentar captar momentos entre eles que sustentem a história de terem feito parte de uma família durante sete mil anos. Isso foi um desafio.”

Leia também a crítica da NiT ao filme. E carregue na galeria para conhecer outros dos principais filmes que vão estrear até ao final do ano.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT