Cinema

Novo James Bond é casado com realizadora 24 anos mais velha

Aaron Taylor-Johnson tinha 18 anos quando conheceu Sam, que realizou o filme "50 Sombras de Grey".
O casal partilha a guarda de quatro filhos.

“A nossa casa é quase como um hotel.” Durante a promoção do filme “Godzilla” (2014), no qual Aaron Taylor-Johnson interpretou o protagonista, o ator foi questionado sobre a rotina que mantinha com a mulher e cineasta, Sam Taylor-Johnson, 24 anos mais velha. Habituado à pergunta, respondeu de forma bem-humorada: “Chego para passar a noite e, quando acordo, ela já saiu para gravações.”

Embora tentem manter as suas vidas pessoais longe dos jornais, usam muitas vezes o humor para comentar o seu relacionamento invulgar em Hollywood. É um mecanismo de defesa que usam para lidar com as controvérsias e a atenção que recebem dos média, sobretudo devido à enorme diferença de idades.

Quando se conheceram, em 2009, o ator tinha 18 anos. Sam, por sua vez, tinha 42. Apaixonaram-se enquanto ela trabalhava no filme biográfico de John Lennon, “Nowhere Boy”, no qual ele deu vida ao músico.  A colaboração transformou-se numa ligação pessoal que, eventualmente, culminou num casamento em 2012.

O casal quase não se conheceu durante as audições, visto que o jovem só estava disponível para uma data em que a realizadora iria estar ausente, contou Aaron numa entrevista ao “Sunday Times”, em 2017. Como estava a participar no filme “Kick-Ass”, tinha um horário limitado e acabou por se apresentar em casa dela, que estava livre porque o ex-marido tinha acabado de sair.

“Foi tão conveniente. No final, pensei: ‘OK, ele vai ter de vir a minha casa’. Abri a minha porta ao John Lennon. Soube imediatamente que era ele”, acrescentou Sam. “Pude ver quanta pesquisa ele já tinha feito, só pela forma como estava de pé e pelas poucas palavras que disse.”

Aaron Taylor-Johnson está a assumir-se como o principal candidato para assumir o icónico papel de James Bond. Se evita a todo o custo falar sobre a possível participação na franquia, tem sido muito mais assertivo sobre a relação com a mulher.

“O que temos de perceber é que o que a maioria das pessoas estava a fazer aos 20 anos, eu estava a fazer aos 13. Sempre fui precoce”, disse o ator, numa entrevista recente, à “Rolling Stone” britânica. “Estás a fazer algo demasiado rápido para outra pessoa? Não percebo isso. A que velocidade é suposto gozar a vida? É bizarro para mim”.

Apesar de ambos afirmarem que “não houve qualquer tipo de brincadeira” durante as gravações, ele pediu-a em casamento um ano mais tarde. Volvida mais de uma década, apesar dos rumores de traição dele com Joey King, que se tornaram virais em janeiro de 2023, o casal parece mais feliz do que nunca.

O casal casou em 2012.

A verdade é que os dois, atualmente com 33 e 57 anos, respetivamente, já são pais de duas meninas, Wylda Rae e Romy Hero. Ao todo partilham quatro filhas, duas das quais são do anterior casamento de Sam com o artista Jay Jopling, que terminou um ano antes de se casar com Aaron.

Sam abordou abertamente o tema da diferença de idades em 2017, numa entrevista ao “The Hollywood Reporter”. “Se eu pensasse nas outras pessoas, seria a pessoa mais infeliz, provavelmente ainda num casamento miserável”, disse. “As pessoas gostam de falar sobre isso. Eu digo: ‘Sim, mas funciona melhor do que o meu último casamento.’ Durou mais tempo do que os casamentos de muitos dos meus amigos.”

Uma das principais polémicas é o facto de a cineasta ter sido responsável pelo filme “As Cinquenta Sombras de Grey”, conhecido pelo seu conteúdo sexual bastante explícito. Isto aconteceu numa altura em que o companheiro era ainda um nome a ascensão, o que levou a muitas especulações sobre a forma como a natureza do seu trabalho poderia afetar esta conexão.

Contudo, a relação também viria a desenvolver-se profissionalmente. Trabalharam juntos no filme “A Million Little Pieces”, em 2018, numa colaboração que foi amplamente elogiada pelos críticos. Embora não tenha sido um grande sucesso durante a época de premiações.

As reações foram positivas, porém, houve também vários desafios. Muitas das críticas à produção, aponta Sam, surgiam de um julgamento à vida privada deles. “Há uma proteção que eu sinto. Acho que é muito difícil”, acrescentou à “Rolling Stone”. “Também há uma parte de mim que sente que, se algo não funcionou, sou o responsável”.

Aos poucos, estas experiências foram moldando a forma como cada um olha para a sua vida profissional. O caso mais flagrante foi a participação do jovem em “Animais Noturnos”, do realizador Tom Ford, que lhe valeu uma nomeação para um BAFTA e um Globo de Ouro na categoria de Melhor Ator Secundário, em 2018. É, até aos dias de hoje, um dos seus papéis mais célebres.

Durante o processo de filmagens, viveu num deserto e esteve num motel perdido no meio dos Estados Unidos. Foi aí que surgiu um grande desafio: selecionar os papéis que realmente fazem sentido para preservar não só o casamento, mas a relação com os filhos.

“Tenho tendência para absorver e absorver a atmosfera. E é importante para mim livrar-me disso e libertar-me dessa pele quando chego a casa para abraçar os meus filhos à noite”, confessou Taylor-Johnson, cujo papel mais recente foi em “Bullet Train”, de 2022.

No seu portefólio, estão ainda personagens célebres como o mutante Mercúrio, em “Vingadores: A Era de Ultron”, de 2015, ou como Kick-Ass, em “Kick-Ass – O Novo Super-Herói”, de 2019. Ainda este ano, será o protagonista de “Kraven, o Caçador”, uma longa-metragem sobre o vilão clássico da banda-desenhada do Homem- Aranha.

Apesar do currículo extenso, Aaron parece aproveitar todas as oportunidades para elogiar a mulher. “A Sam é, na verdade, uma grande cineasta uma maravilhosa contador de histórias”, referiu, citado pela “Vanity Fair”.

E não esconde o entusiasmo com o envolvimento da realizadora no novo biopic de Amy Winehouse. “As pessoas vão pensar que há uma espécie de parcialidade por eu dizer isto, mas acho que quando virem ‘Back to Black’, todos vão perceber como ela é fantástica.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT