Cinema

Sozinho numa ilha deserta a ver filmes: esta é a maratona mais louca do confinamento

A ideia bizarra do Festival de Cinema de Gotemburgo quer dar a um sortudo — ou nem por isso — uma experiência única.
Quem se atreve?

Chamam-lhe O Cinema Isolado e vai ser a casa de um sortudo durante uma semana, convidado a ver todos os filmes que conseguir. Calma, nem tudo é assim tão relaxante.

Esse cinema estará instalado na pequena ilha sueca de Hamneskär, onde sobrevive um farol Pater Noster, ou Pai Nosso, que guiava os marinheiros nas águas perigosas. É na pequena casa do antigo guardião da estrutura que um convidado irá ficar instalado, sem direito a telemóvel, computador, livros ou outras distrações.

A iniciativa é do Festival de Cinema de Gotemburgo e pretende virar do avesso a ideia instalada durante a pandemia de que os filmes são para ver no conforto do sofá.

“Estamos interessados na forma como a relação da audiência com o filme muda sob essas circunstâncias. Queríamos explorar essa relação levando-a ao extremo, isolando uma pessoa numa pequena rocha no meio do mar por uma semana, só com filmes como companhia”, explica à “CNN” Jonas Holmberg, diretor artístico do festival.

O farol onde irá ficar instalado está desativado, embora na ilha tenha sido criado um pequeno hotel de charme numa das habitações — e do qual a NiT já tinha falado. Os responsáveis não são loucos: a cabine do farol foi renovada para proporcionar todo o conforto possível e na ilha estará um encarregado que cuidará de todos os detalhes e de qualquer eventualidade mais perigosa.

“Se tudo correr como planeado, as duas pessoas nunca se cruzarão no decorrer dos sete dias da experiência”, confirma Holmberg. Qualquer pessoa pode candidatar-se enviando um email a explicar quem é e porque é que deve ser escolhido. A data limite de participação é 17 de janeiro.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT