Cinema

Terapia, pressões e suicídio ensombram a estranha morte do filho de Michael Madsen

O filho do ator cometeu suicídio aos 26 anos. Apesar de "não haver sinais de depressão", Madsen pede ao exército que investigue.

“Amo-te, pai”, terá sido a última mensagem enviada a Michael Madsen pelo filho, Hudson, que morreu na segunda-feira, 24 de janeiro. Cinco dias depois do abalo, o ator de 64 anos fala publicamente sobre o incidente.

“Estou em choque, porque falei com o meu filho há uns dias e ele estava feliz”, revela Madsen numa nota pública. Hudson, de 26 anos, terá cometido suicídio.

O ator que se tornou famoso por ser um dos homens da confiança de Quentin Tarantino, revelou que não detetou “quaisquer sinais de depressão”. “É tão trágico e triste, que ainda estou a tentar fazer algum sentido de tudo isto, a tentar perceber o que aconteceu.”

A morte de Hudson foi confirmada pelas autoridades havaianas. “Posso confirmar que Hudson Lee Madsen morreu vítima de um ferimento de bala na cabeça, num suspeito suicídio, na ilha de Oahu”, explicou o médico-legista da localidade onde o filho de Madsen morava com a família.

Hudson era militar, um sargento de uma divisão de infantaria, e tinha regressado recentemente de serviço, depois de também ter passado pelo Afeganistão, antes da retirada total do exército norte-americano do país. Vivia com a mulher, Carlie, na base de Schofield, no Havai.

“Enfrentava desafios típicos na organização das suas finanças, mas queria formar uma família”, explica o pai. “Estava entusiasmado com o futuro. É inacreditável. Não consigo perceber o que se passou.” A nota termina com um pedido de “privacidade e respeito”.

Longe dos olhares públicos, Madsen terá mesmo pedido aos militares que investiguem a morte do filho, por suspeitas de que estaria a ser vítima de pressões internas no exército, por alegadamente frequentar consultas de terapia psicológica. Isto mesmo depois de o pai alegar que Hudson estava feliz e sem sinais de qualquer depressão.

O historial familiar não está isento de problemas. Em 2012, Madsen foi detido pela polícia depois de alegadamente se ter envolvido num confronto físico com um dos filhos, cujo nome não foi revelado. O ator foi levado para a esquadra e estava “aparentemente alcoolizado”, isto depois de alguém na residência ter feito uma chamada para o 112. Suspeita-se de que Hudson, então com 16 anos, seria o envolvido no confronto. Na casa viviam também Calvin, com 14, e Luke, de seis anos.

O filho apresentava sinais de agressões, mas sem gravidade. De acordo com o advogado de Madsen, Perry Wander, o ator terá “encontrado o filho a fumar erva”, o que motivou uma discussão.

Michael Madsen é, aos 64 anos, um dos atores favoritos de Quentin Tarantino, que é também o padrinho de Hudson. Estreou-se como Mr. Blonde em “Reservoir Dogs“, para depois assumir o papel de Budd nos dois capítulos de “Kill Bill”. Regressou às ordens do realizador em “The Hateful Eight“.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT