Cinema

Testemunha dos disparos de Alec Baldwin conta: “A minha visão da tragédia”

Serge Svetnoy assistiu a tudo, teve Halyna Hutchins a morrer nos seus braços e diz que a culpa foi de quererem "poupar tostões".
Tinha 42 anos.

Foi através da sua conta pessoal no Instagram que o técnico de iluminação Serge Stevnoy contou o que se passou no dia em que o ator Alec Baldwin matou acidentalmente Halyna Hutchins, diretora de fotografia, durante as filmagens do filme “Rust“. 

Stevnoy partilhou a 25 de outubro um vídeo intitulado “My Vision of the Tragedy” (ou “a minha visão da tragédia”, em português), que já reuniu mais de 14 mil visualizações. Nele, partilha pormenores do que se passou quando o ator de 63 anos disparou uma arma de adereço que estava carregada.

Halyna Hutchins, de 42 anos, foi transportada para o hospital de helicóptero mas não resistiu aos ferimentos. Já o realizador Joel Souza esteve em estado crítico nos cuidados intensivos do centro médico Christus St. Vincent, nos arredores de Santa Fé, no estado do Novo México, mas já está fora de perigo.

O técnico de iluminação diz que tudo aconteceu devido a “negligência e falta de profissionalismo” da equipa de produção. “Estava ao lado da Halyna durante o disparo fatal que lhe tirou a vida”, conta. “Estava a segurá-la nos meus braços enquanto morria. O sangue dela estava nas minhas mãos.”

Para ele, Hannah Gutierrez-Reed, a técnica que não verificou se a arma entregue a Alec Baldwin estava carregada, nunca deveria ter tido esse nível de responsabilidade. “Não há hipótese de que uma mulher de 24 anos seja uma profissional com armas”, declarou.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Serge Svetnoy (@serge.svetnoy)

E continua: “Profissionais são as pessoas que passam vários anos nos sets de filmagens.” Stevnoy acusa ainda a produção de “negligência e falta de profissionalismo”. Apontando o dedo aos produtores do filme, declara que contratam muitas vezes pessoas que não estão qualificadas para um trabalho “tão complicado e perigoso” e que isso coloca em risco a vida dos outros. 

“Caros produtores”, escreve ainda, “por favor lembrem-se que não são vocês que estão a dar as oportunidades às pessoas que contratam para fazerem dinheiro — são as pessoas que contratam que vos ajudam a fazer o vosso dinheiro. Lembrem-se disto.”

Serge Stevnoy era amigo de longa data de Halyna Hutchins e trabalhou com ela em quase todos os filmes que fez. “Por vezes partilhámos comida e água. Já estivemos a arder debaixo do sol, a congelar na neve nas filmagens. Cuidávamos um do outro.”

AHalyna Hutchins tem sido descrita pelos colegas como uma diretora de fotografia com potencial para ter uma carreira brilhante. Começou a sua carreira no cinema com uma série de curtas-metragens, em 2012. Depois, trabalhou em filmes independentes como “Arqui-Inimigo”“Darlin’”“Blindfire” ou “The Mad Hatter”. Leia o artigo da NiT para saber mais sobre a sua vida.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT