Cinema

Vendas de autobiografia de Will Smith disparam após chapada nos Óscares

Ninguém fala de outra coisa — e a curiosidade sobre o ator levou a uma aumento na procura de "Will", lançada em 2021.
Nem tudo parece correr mal

A chapada de que todos falam continua a render, neste caso para o lado de Will Smith, que parece estar prestes a lucrar com o escândalo. Isto apesar de todas as consequências aparentemente nefastas para a carreira do ator.

As vendas da autobiografia do ator, lançada em 2021, voltaram a disparar. Aquando o lançamento, o livro tornou-se no terceiro mais vendido nos Estados Unidos. Agora, um ano depois e à boleia da bofetada que deu a Chris Rock, a procura regressou.

De tal forma que “Will” voltou para o 73.º lugar do top de vendas, num ranking feito pelo “USA Today”. Subiu também ao top dos best sellers do “The New York Times”. Uma das poucas boas notícias das últimas semanas para Will Smith, que depois do choque dos Óscares se viu banido da Academia, criticado por meio mundo, e até viu alguns dos seus futuros projetos serem colocados em pausa.

A autobiografia, escrita em conjunto com o autor de livros de autoajuda Mark Manson, revela a vida do ator antes da fama, mas também os medos e dificuldades que enfrentou posteriormente, sobretudo a nível de saúde mental.

O livro recorda também a sua relação com as drogas, a violência doméstica que marcou a infância e até os pensamentos homicidas relativamente ao pai. Recorde o artigo da NiT sobre as revelações mais chocantes do livro. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT