Cinema

Will Smith e a estalada dos Óscares: “Tento não me ver como um pedaço de merda”

O ator decidiu finalmente responder às questões que todos têm sobre o incidente. Pediu desculpa a Rock, aos colegas e aos fãs.

Primeiro, a estalada. Depois, a reação a quente. Agora, quatro meses depois, Will Smith decide finalmente abrir-se com os fãs e falar sobre o momento mais controverso da cerimónia deste ano dos Óscares, onde esbofeteou o humorista Chris Rock.

Num vídeo publicado esta sexta-feira, 29 de julho, o ator responde a várias questões sobre o incidente. “Nos últimos meses, tenho passado muito tempo a pensar e a fazer algum trabalho pessoal. Vocês colocaram-me muitas questões justas e gostava de tirar um bocadinho de tempo para as endereçar.”

Questionado sobre o motivo pelo qual não apresentou imediatamente um pedido de desculpas durante o discurso de aceitação do Óscar, Smith foi franco. “Estava demasiado emocionado. Foi tudo muito confuso”, confessou. Confirmou também que tentou contactar diretamente Chris Rock, mas que o humorista “ainda não estava pronto para conversar”.

“Chris, peço-te desculpa”, disse para a câmara. “O meu comportamento foi inaceitável e cá estarei para conversar contigo quando quiseres.” Smith estendeu o pedido de desculpas aos familiares de Rock.

“Passei os últimos três meses a rever, a tentar compreender as nuances e as complexidades do que aconteceu naquele momento. Não vou tentar desconstruir tudo isso neste momento, mas posso dizer-te que em momento algum me passou pela cabeça que aquele comportamento foi correto.”

Smith aproveitou também para ilibar a mulher, Jada Pinkett-Smith, que foi vista por muitos como a impulsionadora do incidente. O ator, que se riu da piada de Rock, num primeiro momento, mudou de expressão ao perceber que a mulher não gostara do comentário.

“Fui eu quem tomou a decisão, com base nas minhas experiências, no meu passado com o Chris. A Jada não teve nada a ver com aquilo”, frisou. Will Smith quis ainda deixar um pedido de desculpas aos colegas de profissão que estavam nomeados para os Óscares.

“Parte-me o coração ter roubado e manchado aquele momento”, diz. “Pedir desculpas simplesmente não é suficiente.”

A última palavra foi, claro, para os fãs. “O meu maior trauma é o de desapontar pessoas. Odeio quando desiludo pessoas. Magoa-me emocional e psicologicamente o facto de não ter conseguido estar à altura da imagem que as pessoas têm de mim”, nota.

“Continuo a tentar redimir-me sem ter vergonha de mim próprio. Continuo a tentar não me ver como um pedaço de merda.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT