Livros

11 novas obras de escritores portugueses para comprar na Feira do Livro

Do thriller psicológico ao romance, passando por biografias, há muitas novidades no mundo literário português.
Há muito para conhecer.

Em Dia de Portugal, lê-se autores nacionais — e há cada vez mais escritores jovens portugueses a destacar-se no mundo literário. Neste 10 de junho, para celebrar o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, a NiT reuniu alguns dos últimos lançamentos que mais têm dado que falar, desde thrillers psicológicos, romance e biografias. E o melhor de tudo é que podem ser encontrados com descontos na Feira do Livro, que vai manter-se pelo Parque Eduardo VII até 16 de junho.

Se passou pelo recinto em Lisboa, já deve ter percebido que há uma obra em particular que se tem destacado nas bancas. “A Cicatriz”, de Maria Francisca Gama, lançado em fevereiro deste ano, está no top 10 dos livros mais vendidos desta edição da Feira do Livro.

Com menos de 200 páginas, é uma obra que pode ser facilmente lida num dia, mas não significa que seja, de todo, uma história leve. A violência contra as mulheres é precisamente um dos temas de “A Cicatriz”, o quarto livro da autora de 26 anos, editado pela Suma de Letras (uma chancela da Penguin).

O processo de escrita começou em abril do ano passado, quando Maria regressou de uma viagem ao Rio de Janeiro. Inspirada pela beleza da cidade brasileira, decidiu que o seu próximo trabalho se ambientaria precisamente ali.

“Bebo muito da cultura brasileira. Gosto dos autores de lá, da música, da comida. Reuniu-se um conjunto de fatores que despertou em mim o interesse de contar uma história que se desenrolasse ali”, explicou à NiT. No fundo, o Rio de Janeiro acaba por ser uma personagem, porque toda a narrativa se “desenvolve com base nas suas características”.

“A Cicatriz” acompanha um casal que partiu numa viagem que prometia ser inesquecível. Após vários dias encantadores, banhados pelo sol e pelo espírito carioca, aproveitam uma das últimas noites para irem jantar fora. Quando terminam a refeição, satisfeitos e apaixonados, decidem ir a pé para o hotel, mas não se recordam se o caminho mais perto é pela esquerda ou pela direita. Tomam uma decisão que achavam que pouco ia significar, e a sua vida muda por completo. “O Rio passa de um sítio luminoso a sombrio à medida que tudo se desenrola”, descreve.

Ao longo das páginas, descobrimos o que lhes poderia ter acontecido se tivessem ido pela direita, e o que realmente aconteceu por terem seguido pela esquerda. Sem revelar spoilers, Maria diz que “sucede algo muito mau que reflete os dados estatísticos sobre a violência contra as mulheres”.

No ano em que se celebram os 50 anos do 25 de Abril, outros dois lançamentos que não passaram despercebidos foram “Memórias Minhas”, de Manuel Alegre, e “A Desobediente ‒ Biografia de Maria Teresa Horta”, de Patrícia Reis. Ambos foram vozes da liberdade contra o fascismo e a sua história pode agora ser lida nestas duas obras.

Carregue na galeria para conhecer 12 novos livros de autores portugueses.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT