Livros

Covid-19: governo apoia editoras e livrarias com mais de meio milhão de euros

Este tem sido um setores mais afetados pelo impacto do novo coronavírus.
Esta novidade faz parte das medidas adotadas durante o estado de emergência.

Esta quinta-feira, 23 de abril, celebra-se o Dia Mundial do Livro de uma forma diferente. O ministério da Cultura anunciou a criação de medidas de apoio ao setor do livro, que tem sido um dos mais afetados pela pandemia de Covid-19.

O governo vai destinar 600 mil euros à aquisição de livros e antecipar a abertura das bolsas de criação literária, com um reforço de 45 mil euros, diz o site “Sapo 24”. Vão ser atribuídas seis bolsas anuais e 12 semestrais, apoiando 18 projetos originais.

As obras, escritas em português e por autores nacionais, serão distribuídas em articulação com o Instituto Camões, pela Rede de Ensino de Português no Estrangeiro (Cátedras, Centros de Língua Portuguesa, Leitorados) e pela Rede de Centros Culturais. As áreas podem ir desde a poesia e ficção ao teatro, banda desenhada, literatura infantojuvenil e ensaio sobre artes ou património cultural.

As editoras e livrarias têm de ser pessoas coletivas dotadas de personalidade jurídica, sediadas em Portugal e com atividade regular há pelo menos dois anos, para fazerem parte deste programa.

“Esta medida tem como objetivo fundamental apoiar as editoras e livrarias portuguesas no sentido de atenuar os efeitos provocados pela pandemia”, disse o ministério da Cultura num comunicado ao qual a agência Lusa teve acesso, citado pelo “Sapo 24”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT