Livros

Miúdo de 8 anos escreve livro e esconde-o numa biblioteca — agora é um sucesso

Várias editoras querem mesmo publicar o livro e os colegas de escola até começaram a escrever para o imitar.
O rapaz escondeu o livro numa estante.

Este Natal, Dillon Helbig — um miúdo de oito anos de Boise, no Idaho, nos Estados Unidos — decidiu escrever um livro. Pegou num caderno em branco e, durante quatro dias, criou e ilustrou “The Adventures of Dillon Helbig’s Crismis”. É uma história sobre como ele próprio é transportado no tempo depois de uma estrela explodir por cima da sua árvore de Natal. E Dillon, como todos os escritores, queria muito que lessem a sua história.

No final do ano, quando a avó o levou à biblioteca local, Dillon colocou a única cópia do seu livro — às escondidas — na estante das obras de ficção. Sem dizer nada a ninguém. Pelo menos até chegar a casa e contar o que tinha feito à mãe, Susan Helbig.

Susan ligou para a biblioteca, julgando que o livro estaria na secção dos perdidos e achados. Na verdade, os bibliotecários tinham achado tanta graça ao gesto — e à própria história — que alinharam na brincadeira e catalogaram o livro, colocando-o disponível para ser requisitado. Mas mudaram-no para a estante das novelas gráficas, uma vez que “The Adventures of Dillon Helbig’s Crismis” tem uma forte componente visual.

“Merece um lugar nas estantes da nossa biblioteca”, disse o gerente, Alex Hartman, citado pelo “The New York Times”. “É uma boa história.” Ainda que tenha inúmeros erros ortográficos e gramaticais, o que é compreensível para um autor de oito anos.

Depois de a estrela por cima da árvore de Natal explodir, o protagonista (que também é o escritor) embarca numa viagem pelo tempo depois de ir parar a uma árvore-portal. Esse portal leva-o até ao primeiro Dia de Ação de Graças, que aconteceu em 1621 — a mãe ajudou-o a precisar a data.

A capa do livro original.

Depois de a biblioteca acolher o seu livro, tornou-se um fenómeno. A história começou a ser contada na imprensa local, atraiu curiosos e fez com que os colegas de escola de Dillon também quisessem começar a escrever os próprios livros. 

No final do mês de janeiro, já tinha gerado tanta atenção que havia uma fila de espera de 56 pessoas que se tinham inscrito na biblioteca para poderem requisitar “The Adventures of Dillon Helbig’s Crismis”. Se todas elas mantivessem o livro durante quatro semanas — o período máximo de requisição — a última pessoa da lista teria de esperar cerca de quatro anos.

Segundo o “The New York Times”, várias editoras contactaram a biblioteca por estarem interessadas em publicar o livro. E os bibliotecários também têm o plano de fazer mais cópias da história. Uma escritora local, Cristianne Lane, ofereceu-se ainda para criar um workshop na biblioteca, em conjunto com Dillon, para ajudar outras crianças a desenvolverem as suas histórias.

Dillon Helbig começou a escrever (e a desenhar) histórias em casa aos cinco anos. Depois de toda a atenção que tem recebido no último mês, diz que quer ser um escritor de profissão. Embora já tenha outros planos em mente.

“Vou parar de escrever quando tiver 40 anos”, disse ao “The New York Times”. E depois? “Vou fazer jogos.” Mas já tem uma ideia para o próximo livro, o muito aguardado “The Jacket-Eating Closet”, alegadamente inspirado em factos reais.

Dillon Helbig tem oito anos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT