Livros

Morreu Laurent de Brunhoff, o autor que fez do elefante Babar uma estrela

O ilustrador francês deu continuidade à série criada pelo pai, em 1931. Tinha 98 anos.
A história vendeu milhões de cópias.

O autor e ilustrador francês Laurent  de Brunhoff morreu esta sexta-feira, 22 de março, aos 98 anos, após ter estado duas semanas em cuidados paliativos. Tornou-se conhecido por dar continuidade e popularizar “Babar”, a série de livros ilustrados criada pelo seu pai, Jean de Brunhoff, e que conta a história de um rei elefante.

O artista tinha 12 anos quando o progenitor morreu de tuberculose. Em idade adulta, utilizou a sua própria vocação para a pintura e lançou dezenas de livros sobre o animal que reina em Celesteville. Embora usasse menos palavras para contar as histórias, manteve-se fiel ao traço suave e discreto das primeiras versões.

“Juntos, pai e filho teceram um mundo fictício tão perfeito que é quase impossível detetar onde um parou e o outro começou”, escreveu a autora Ann S. Haskell, no jornal norte-americano “The New York Times”, em 1981.

Falamos do responsável por um dos maiores êxitos da literatura infantil em televisão e cinema. A história da pequena figura de fato verde e chapéu, que fica orfã e regressa à floresta onde se torna rei dos elefantes, foi criada por Cecile Brunhoff para entreter os seus dois filhos, em 1931.

A série vendeu milhões de exemplares em todo o mundo e até foi adaptada à televisão. A lista inclui ainda filmes de animação como “Babar: O Filme” e “Babar: Rei dos Elefantes”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT