Livros

Portugueses compraram mais de 13 milhões de livros em 2023

Os dados da GFK Portugal revelam que foram vendidas mais 3,6 por cento de obras do que em 2022.
80 por cento dos livros foram vendidos nas livrarias.

O ano passado a venda de livros no nosso País aumentou sete por cento face a 2022. A Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) revelou os dados recolhidos pela GFK Portugal esta segunda-feira, 22 de janeiro.

Em 2023 venderam-se 13.176.303 livros, ou seja, mais 3,6 por cento comparando com 2022. A faturação global do mercado livreiro foi de 187,2 milhões de euros. Face aos 175 milhões do ano passado, representou um aumento de sete por cento.

A APEL considera que embora os números tenham subido, houve “um crescimento menor que o apresentado em 2021 e 2022”. Isto “indicia uma estabilização do mercado depois do ano de rutura de 2020 e sublinha a necessidade de resolver muitas das fragilidades quer do setor editorial, quer do setor livreiro”.

Porém, os números relacionam-se também com o aumento dos preços das obras. Em 2023, o preço médio de livro vendido sofreu aumentos de 3,3 por cento para 14,21 euros, segundo a APEL.

A maioria dos livros vendidos (cerca de 34,1 por cento) encaixam-no segmento infanto-juvenil, seguindo-se a ficção (32,3 por cento) e a não-ficção (30,2 por cento). Porém, relativamente a faturação, os que tiveram um maior encaixe para o setor foram os de ficção.

Quanto ao local de compra, os portugueses continuam a preferir as livrarias aos supermercados.

 

 

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT