Livros

Tudo o que vai mudar na edição deste ano da Feira do Livro de Lisboa

O evento vai ter uma lotação máxima de 3300 pessoas e o uso de máscara será obrigatório.
O recinto vai estar mais amplo.

A Feira do Livro de Lisboa foi mais um dos grandes eventos em Portugal que tiveram de se adaptar às restrições impostas pela pandemia. Este ano, vai acontecer entre 27 de agosto e 13 de setembro — e a organização composta pela Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) e a Câmara Municipal de Lisboa já revelaram como tudo vai acontecer.

Esta vai ser a segunda maior edição de sempre. Terá 310 pavilhões, 638 chancelas editoriais e 117 participantes — tudo estará instalado, como habitual, no Parque Eduardo VII. Para que as condições de segurança estejam reunidas, vai ser obrigatório o uso de máscara no recinto da feira. O staff, além da máscara, terá de usar viseira.

Este ano vai haver uma lotação máxima de 3300 pessoas, para que esteja garantido o distanciamento social de dois metros entre visitantes. O staff vai controlar ao longo dos dias as duas principais entradas no recinto — que estará totalmente aberto, embora seja possível fechar os outros acessos com baias e fitas caso a lotação máxima esteja quase a ser atingida. 

A organização não acredita, contudo, que tal seja necessário durante a semana — nem mesmo durante a famosa Hora H, quando os preços são mais baratos e há um maior número de visitantes no Parque Eduardo VII. Haverá ainda postos de gel desinfetante espalhados, para que os visitantes possam ir desinfetando as mãos.

Para que haja uma maior possibilidade de deslocação do público dentro da feira, num espaço mais arejado e amplo, a APEL decidiu retirar todos os “equipamentos não essenciais” do recinto. A área de restauração também estará diminuída nesta edição.

As apresentações de livros vão acontecer em apenas três auditórios ao ar livre — dois deles novos — chamados Sul, Poente e Nascente, com lugares sentados. Vai continuar a haver sessões de autógrafos, mas as iniciativas de showcooking foram canceladas. No total estão marcadas cerca de 800 atividades (incluindo a programação infantil).

No entanto, várias editoras optaram por não marcar apresentações de livros. A Tinta-da-China, por exemplo, só irá realizar sessões de autógrafos. Vai poder trocar umas palavras e ter a sua cópia assinada por Ricardo Araújo Pereira, Dulce Maria Cardoso ou Filipe Melo.

Segundo o “Observador”, o grupo 20/20 ou a E-Primatur não terão eventos nesta edição da Feira do Livro de Lisboa. A regra geral é que haverá menos sessões, apresentações, autores e horários do que o habitual — e terá de haver um distanciamento entre escritores e público, e mesmo entre as próprias pessoas nas filas.

Além disso, os visitantes não poderão trazer livros de casa para serem autografados — terão de ser acabados de comprar, para garantir que as cópias estão desinfetadas.

No entanto, vai poder trazer de casa livros usados que já não queira. A iniciativa Doe Os Seus Livros convida os visitantes a entregarem obras que tenham em casa, e que não queiram guardar, num pavilhão específico junto da entrada sul do recinto. Os livros serão entregues a crianças carenciadas apoiadas por várias instituições. No ano passado, foram angariados mais de 10.500 livros, entre os quais 2500 manuais escolares.

O Auditório Sul vai receber vários concertos — incluindo atuações do saxofonista Mark Cain, do cantor Matay, e uma performance do espetáculo “Concerto Entressonhar”, do projeto GEO.

A Feira do Livro de Lisboa vai funcionar entre as 12h30 e as 22 horas, sendo que às sextas-feiras e sábados só irá encerrar à meia-noite. Aos sábados também abre mais cedo, pelas 11 horas. Nos domingos vai estar aberta entre as 11 e as 23 horas.

A Hora H, com descontos mínimos de 50 por cento — para livros lançados há mais de 18 meses — vai funcionar de segunda a quinta-feira, entre as 21 e as 22 horas (na última hora do dia).

A entrada, como sempre, é gratuita, mesmo que esta seja uma edição atípica da feira do livro — que assinala os 90 anos desde a sua criação.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT