Mural de Salgueiro Maia trocou as armas pelos cravos

A nova obra, revelada esta quarta-feira, combina também a filigrana portuguesa com padrões africanos.
A obra terminou esta segunda-feira

Pintado em 2014 com o objetivo de homenagear Salgueiro Maia, a obra renovou-se esta quarta-feira, 8 de novembro. Feito nos muros da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, a fachada mostra agora um dos heróis do 25 de Abril ligeiramente diferente.

À sua volta já não se encontram as armas, mas sim cravos, cores e novos padrões. A mudança pretende dar início à celebração dos 50 anos da revolução dos cravos. Encomendada novamente pela faculdade, é agora autoria de quatro artistas do coletivo Underdogs.

“Aquele mural foi feito nos 40 anos do 25 de Abril, é arte urbana efémera, o que significa que sabemos que há um risco de destruição ou de desaparecimento, o que aconteceu. Por isso, a direção da faculdade decidiu avançar para a sua refeitura e contactámos o mesmo coletivo Underdogs”, revelou Luís Baptista, diretor da faculdade, em declarações ao “Diário de Notícias”.

A nova obra chega então assinada por Tamara Alves, Sara Fonseca da Graça, Moami e Mariana Malhão. As quatro mulheres que se sucedem aos autores do anterior mural, Vhils, Miguel Januário, Frederico Draw, Diogo Machado e Gonçalo Ribeiro.

O novo mural pinta-se adora de encarnado e laranja, com motivos reminiscentes da tradição portuguesa da filigrana, entrelaçada com alguns padrões que remetem para África.

O anterior mural

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT