Música

“A Família”: terceiro álbum dos Cassete Pirata explora “novos extremos musicais”

Após quatro singles, chega o disco. "Tem as canções mais maduras que já fizemos", descreve a banda fundada em 2016.
É o terceiro disco da banda.

Foi apenas em 2016 que o jazz reuniu este grupo de cinco amigos, atualmente conhecidos pela sua marca de assinatura no universo do rock português. Talvez nem saiba, mas se viu a série “Até Que a Vida Nos Separe” (RTP, 2020), então já conhece os protagonistas da banda sonora, onde o tema “A Próxima Viagem”, além de um sucesso que ficava preso no ouvido, servia de genérico do programa.

Falamos dos Cassete Pirata, que lançaram esta sexta-feira, 24 de maio, um novo disco — “A Família”. Trata-se do terceiro longa-duração do grupo de Pir (compositor, vocalista e guitarrista), Joana Espadinha, Margarida Campelo (ambas na voz e teclados), João Pinheiro (baterista) e António Quintino (baixista), sob a produção de Benajmim. Apresentam-no como uma exploração de “novos extremos musicais”. 

Da novidade, já se conheciam os singles “Tanta Vida pra Viver”, “Ninguém fica a perder”, “Tens o meu coração” e “A Rotina”.

“É o disco com as canções mais maduras que já fizemos, é o disco onde arriscámos mais na energia e onde também descobrimos o nosso lado mais suave”, descrevem.

“Trata-se de um check-up emocional, das conversas e das divagações do divã terapêutico. Uma catarse em forma de canções para serem cantadas para dentro, na privacidade dos nossos pensamentos, ou num coro de desconhecidos de braços estendidos para o palco”.

O compositor, vocalista e guitarrista acrescenta que todo o processo de escrita, gravação e pós-produção foi maturado com tempo e espaço para a criação e isso “trouxe personalidade às canções e uma identidade ainda mais unificada do seu conjunto”.

O álbum encontra-se disponível em todas as plataformas digitais e no formato físico em CD e LP. Será apresentado ao vivo numa tour pelos principais clubes do país, que passará por Porto, Braga, Torres Vedras, Leiria e Lisboa, com mais concertos a serem anunciados brevemente.

“A Montra”, o disco de estreia da banda, lançado em 2019, foi considerado um dos melhores do ano pela Antena 3. Mais tarde, em 2021, foi a altura de “A Semente” — a segunda produção da banda. Todos foram considerado pela crítica “uma lufada de ar fresco no panorama do indie rock português”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT