Música

A Porta: Salvador Sobral, Club Makumba e Titica vão atuar no festival de Leiria

Além de concertos, a iniciativa conta com exposições, propostas infanto-juvenis e jantares em casas de famílias.
Promete ser memorável.

É oficial. De 12 a 19 de junho, em Leiria, todos os caminhos vão dar ao centro histórico da cidade. É lá que acontece a sétima edição do festival itinerante A Porta, caraterizado, acima de tudo, por estar “em constante diálogo com os espaços, pessoas e projetos” que habitam essa zona central.

Este ano, de uma programação que volta a cruzar concertos, artes plásticas, propostas infanto-juvenis e jantares em casas de famílias, destacam-se, para já, as atuações de Salvador Sobral e André Santos; Club Makumba; e Titica. Mais nomes serão anunciados em breve.

Para o espetáculo em Leiria, o cantor e compositor Salvador Sobral leva “bpm”, álbum editado em 2021 e composto, na íntegra, por originais de sua autoria. “Para este concerto junta-se a André Santos, numa formação mais reduzida e intimista de apresentação do seu último trabalho”, adianta a organização.

Já os Club Makumba, que resultam da parceria desenvolvida entre Tó Trips (Dead Combo, Lulu Blind) e João Doce (Wraygunn), acompanhados agora por Gonçalo Prazeres e Gonçalo Leonardo, vão dar a conhecer o disco homónimo editado no início de 2022. “O coletivo desenha um exercício livre, espontâneo, experimental e tribalista, onde se abrem portas para as sonoridades do Mediterrâneo e da África imaginada”.

Teca Miguel Garcia, a cantora, compositora, dançarina e ativista mais conhecida pelo nome artístico Titica, chega com o estilo de que se tornou ícone em 2011, com o lançamento de “Chão”, o seu primeiro trabalho. Falamos do kuduro, cujo domínio possibilitou à versátil artista, “uma das principais referências na luta pelos direitos das pessoas LGBT”, atuar na Europa, EUA e América Latina. Ao longo dos últimos anos, fez diversas incursões por géneros musicais como o afrohouse, a kizomba e o semba.

Para a nova edição, sabe-se, igualmente, que o cartaz integra vários regressos. É o caso do projeto 1001 Porta, “que vai propor um conjunto de instalações e atividades em espaço público e feiras vocacionadas para a arte e a sustentabilidade”; “da exposição coletiva de artes visuais sob o nome CasaPlástica”; “do já tradicional Portinha, com um ciclo de oficinas e apresentações para os mais novos”, e de “um espaço de encontro com as tradições da região”.

De acordo com os responsáveis, um dos momentos mais aguardados e acarinhados pelos festivaleiros, que são os jantares em casas particulares de famílias da cidade que abrem a sua porta a desconhecidos, também estão de volta.

Até à data de realização, todos os detalhes da iniciativa vão ser revelados no site da mesma.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT