Música

“American Symphony” mostra como Jon Batiste continuou a criar em plena tragédia pessoal

O documentário acompanha um ano na vida do artista, enquanto tenta compor uma sinfonia e ajuda a mulher que sofre de leucemia.
"American Symphony" estreou 29 de novembro

É um dos artistas mais multifacetados e galardoados da atualidade. Jon Batiste já ganhou um Óscar, vários Globos de Ouro e Grammys e trabalhou com músicos como Stevie Wonder, Prince ou Lana del Rey. Porém, às vezes, esquecemos que um compositor não é uma máquina de sucessos. É e essa a principal mensagem de “American Symphony”, que acompanha o ano da carreira de Batiste em que a mulher, Suleika Jaouad, enfrentava uma leucemia. O documentário chegou esta quarta-feira, 29 de novembro, à Netflix.

Apesar de não ser um nome tão reconhecido do público quando comparado a outras estrelas. O pianista, cantor de Nova Orleães, com a banda que o acompanha, Stay Human, esteve sete anos a conquistar a atenção de uma grande audiência enquanto responsável pela música do “The Late Show With Stephen Colbert”.

“American Symphony” começa numa das melhores fases da carreira de Batiste. Tinha sido nomeado para 11 Grammys, em novembro de 2021, pelo seu disco “We Are” e preparava-se para embarcar num dos mais importantes projetos da sua carreira: compor uma sinfonia para interpretar no Carnegie Hall, na cidade de Nova Iorque.

A premissa inicial do filme era acompanhar o processo criativo do artista, contudo, nem sempre a vida acontece como pretendemos. Essa altura coincidiu com o momento em que Jaouad descobriu que tinha sido diagnosticada com leucemia pela segunda vez.

O realizador responsável por este projeto, Matthew Heineman, responsável por “Carter Land”, documentário de 2015, nomeado para um Óscar, que explora o problema das drogas na fronteira entre os Estados Unidos e o México, explicou que a inesperada reviravolta na vida do casal o inspirou a mudar o tom de “American Symphony”.

“A longa-metragem tornou-se numa bela meditação sobre o que significa ser um artista e perseverar enquanto enfrenta momentos bons e outros mais difíceis”, explicou à “People”.

Suleika Jaouad escreve regularmente uma coluna de opinião no “New York Times” chamada “Life, Interrupted”. Nos textos, a autora norte-americana onde descrevia, na primeira pessoa, a vida de uma jovem com cancro. A escritora foi diagnosticada, em 2011, com leucemia mieloide aguda, uma doença rara e perigosa. Os médicos informaram-na que tinha apenas 35 por centos de probabilidade de resistir.

A escritora superou a doença e agora dedica uma boa parte do tempo a alertar para este tipo de problemas, dando palestras em várias escolas e colaborando com vários em meios de comunicação.

Jaouad e Batiste estão juntos desde 2014, ano em que se conheceram num acampamento para músicos. Na altura, a autora tocava contrabaixo. Casaram em 2022, um ano após ter descoberto que a doença tinha regressado e que teria de ser submetida a um segundo transplante de medula óssea. Felizmente, depois deste tratamento, conseguiu continuar a dedicar-se às suas paixões.

Em “American Symphony” percebemos como o casal lidou com a situação e como o artista continuou a fazer música apesar da doença da mulher. Numa entrevista, o pianista explicou que, com este documentário, pretende ajudar outros colegas de profissão a abrirem-se mais sobre os problemas pessoais que os atormentam.

“Espero que este documentário funcione como um farol para muitos artistas”, confessou Batiste à “Billboard”. “Quando as pessoas são bem-sucedidas, especialmente figuras públicas, temo que isso crie uma ilusão de facilidade. Não quero fazer ninguém sentir-se inferior. Muito menos artistas que estão a lutar para triunfar, independentemente, da saúde mental de cada um”, explicou.

“Nunca se sabe o que alguém teve de abandonar ou fazer para chegar ao patamar onde se encontra. Somos todos seres humanos a lidar com coisas semelhantes. É bom mostrarmos mais este lado, em vez de o escondermos por trás de uma presença filtrada e selecionada nas redes sociais.”

Carregue na galeria para conhecer todas as séries que chegaram à televisão e às plataformas de streaming em novembro.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT