Música

The Black Mamba: “Aconteça o que acontecer, sentimos que já somos vencedores”

A banda portuguesa participa este sábado na final da Eurovisão e contou à NiT como está a viver a últimas horas antes de subir ao palco.
Chegou o grande dia.

Nervosismo não é uma palavra que faça parte do vocabulário dos The Black Mamba. A poucas horas de subir ao palco da final da Eurovisão, que se realiza este sábado, 21 de maio, a banda que vai representar Portugal no concurso europeu esteve à conversa com a NiT para partilhar a experiência deste que poderá ser um grande dia para os cinco músicos, mas também para o nosso País.

Com todas as restrições impostas pela pandemia, os portugueses não tiveram grande margem de manobra para fugir do ambiente da Eurovisão, mas não se mostram preocupados. O dia foi divido entre ensaios e entrevistas. “Está a correr bem o dia, já nos habituámos às rotinas e à dinâmica aqui da Eurovisão“, explicam. No momento em que falaram com a NiT tinham terminado há pouco tempo o segundo ensaio do dia, que “correu bem” e que lhes dá a “tranquilidade de saber que que está tudo preparado para correr bem esta noite”. 

Os portugueses, já se sabe, estão entre os favoritos para a vitória. Além disso, a canção “Love is On My Side” disparou nos tops de vendas digitais no iTunes um pouco por toda a Europa. Mesmo sem querer dar demasiada importância às previsões, os The Black Mamba confirmam que têm vindo a sentir um buzz crescente à sua volta. 

“Sentimos que as pessoas estão a gostar cada vez mais da nossa música, temos recebido feedbacks muito positivos. Estamos a sentir esse efeito positivo”, diz o vocalista Tatanka à NiT.

Os The Black Mamba na passada quinta-feira.

O músico diz que, apesar da experiência que a banda já tem, não consegue ficar indiferente à pressão que significa representar Portugal num palco como a Eurovisão: “há uma pressão maior por saber que estamos a representar todo um povo, isso é verdade. Já sentimos isso na quinta-feira [dia da na semifinal, no passado dia 20 de maio], mas também temos vindo a sentir um maior carinho”. 

“Além disso, temos recebido imensas mensagens de Portugal, sabemos que está toda a gente a apoiar-nos e a torcer por nós e, só por isso, já valeu a pena. Aconteça o que acontecer, sentimos que já somos vencedores. O saldo é mesmo muito positivo”, garante.

A banda acredita ainda que a sua experiência pode ser um trunfo na final deste sábado. “Estamos aqui os cinco todos juntos. Há outros concorrentes que estão sozinhos e não conhecem ninguém, por isso temos essa vantagem”, sublinham os músicos. “Estamos juntos há muitos anos, temos muita estrada feita em conjunto e isso dá-nos muita tranquilidade, sabemos que não estamos sozinhos”.

Questionados sobre o que farão se conquistarem o primeiro lugar, a banda diz que não tem nada planeado. Mas nem é preciso. “Não temos nada previsto. Mas, se acontecer, uma coisa é certa: vamos gritar, gritar muito. E também beber muito vinho”.

Na final da 65.ª edição do Festival Eurovisão da Canção, que este ano acontece em Roterdão, na Holanda, vão participar, além de Portugal, mais 25 países. Os finalistas foram apurados em duas semifinais, que decorreram na terça-feira, 18 de maio, e na quinta-feira (dia 20). Na primeira semifinal foram escolhidos para a final a Lituânia, Rússia, Suécia, Chipre, Noruega, Bélgica, Israel, Azerbaijão, Ucrânia e Malta.

Os The Black Mamba apuraram-se na quinta-feira, juntamente com a Albânia, Sérvia, Bulgária, Moldávia, Islândia, São Marino, Suíça, Grécia, e Finlândia. Aos países apurados nas semifinais, juntam-se França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido, assim como o país anfitrião — os Países Baixos.

O concurso vai ser transmitido na RTP, a partir das 20h00. Enquanto não começa, aproveite para ler o artigo da NiT sobre os últimos dias da banda portuguesa em Roterdão. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT