Música

“Deixem de ser woke.” Pink Floyd criticados por famoso arco-íris de “Dark Side of the Moon”

Vários fãs confundiram as cores usadas na capa do disco com o arco-íris LGBT e pediram o cancelamento da banda.
O arco-íris está lá desde 1973

Deveria ser uma ocasião especial. A banda britânica anunciou esta semana uma edição especial do seu mais famoso disco, a propósito do 50.º aniversário de “Dark Side of the Moon”. Mas, nas redes sociais, o tom foi pouco celebratório.

A box set foi revelada com um logótipo personalizado para o momento. Dentro do zero do “50” foi colocado o arco-íris que famosamente reflete a luz na capa do disco lançado em 1973. O uso da figura colorida foi confundida por muitos como uma referência ao arco-íris usado pela comunidade LGBTQ+.

“Deixem lá o arco-íris, estão a fazer figura de estúpidos”, comentou um dos fãs. “Não me digam que se tornaram woke…”, questionou outro. “Existe uma bandeira heterossexual? Quero ser igualmente representado”, atirava o comentário seguinte.

Naturalmente, a maioria dos fãs que percebeu a referência acabou por ripostar e estabelecer a ordem — o que não foi suficiente para impedir que mais e mais críticos enchessem a caixa de comentários. “Achei que era uma piada até vir cá ver por mim próprio. As pessoas estão mesmo a fazer birra por causa do arco-íris que sempre esteve na capa?”, defendeu um dos fãs.

Posted by Pink Floyd on Thursday, January 19, 2023

Apesar da polémica, a edição comemorativa do 50.º aniversário do lançamento de “Dark Side of the Moon” vai mesmo chegar às lojas a 24 de março e inclui uma nova versão remasterizada da edição original, um CD, um vinil, bem como um Blu-Ray e DVD que inclui uma mistura em 5.1 e stereo.

Mais: irá também incluir um Blu-Ray da mistura Atmos, ao lado de um CD e um LP do disco “The Dark Side of the Moon — Live at Wembley Empire Pool London 1974”. A caixa irá custar 286,99€.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT