Música

Dino D’Santiago lembra infância difícil: “As baratas cresciam no meio das nossas roupas”

O artista recordou a situação precária em que viveu numa entrevista concedida a Daniel Oliveira.
Tem 40 anos.

O cantor e compositor Dino D’Santiago, de 40 anos, foi o entrevistado do programa deste sábado, 5 de novembro, do “Alta Definição”. Em conversa com Daniel Oliveira, que conduz o formato da SIC, o artista de ascendência cabo-verdiana recordou a infância difícil que viveu num bairro pobre da Quarteira, no Algarve.

“As nossas roupas tinham as marcas do xixi ou das fezes dos ratos… as baratas cresciam no meio das nossas roupas, havia várias osgas… E aí tu começas a sentir que não é justo um ser humano crescer nessas condições e questionas: isto é Portugal?”, comentou a dada altura o profissional que se deu a conhecer ao grande público com a participação, em 2003, na “Operação Triunfo”. Atualmente, é um dos mentores da versão nacional do “The Voice Portugal”, também na estação pública.

O cantor lembrou ainda a casa sem janelas em que vivia, na qual entrava a água do mar, mas faltava a potável. “O meu primeiro banho de banheira foi aos 15 anos de idade”, contou. Apesar de perceber as diferenças entre a sua realidade e a de outras crianças com as quais convivia, disse nunca se ter sentido discriminado na escola. “Sentia mais vergonha quando as nossas roupas tinham as marcas do chichi dos ratos ou das fezes e aquilo não saía mesmo com as lavagens”.

O vencedor, deste ano, do Globo de Ouro para “Melhor Intérprete” partilhou, igualmente que, como outros adolescentes da zona, teve o primeiro trabalho bastante novo, aos 13 anos. De modo a ajudar os pais com as despesas, Dino começou a servir às mesas num restaurante de comida chinesa em Vilamoura.

Apesar das situações adversas com que cresceu, garantiu sentir-se grato pelo que tinha, uma vez que a família, mesmo sendo humilde, ajudava pessoas em situações mais problemáticas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT