Música

Taylor Swift volta para arrasar mais um ex: “É para os piores homens que escrevo melhor”

A artista lança esta sexta-feira "The Tortured Poets Department", o seu novo disco. E surpresa, há mais drama na sua vida romântica.
Namoraram durante seis anos.

“Foi automutilação. Foi uma casa e depois paragem cardíaca. Um sorriso malicioso surge no rosto desta poeta, porque é para os piores homens que escrevo melhor.” É assim que Taylor Swift termina o prólogo de “The Tortured Poets Department”, o seu novo álbum editado esta sexta-feira, 19 de abril.

Entre alfinetadas a Kim Kardashian, que quase levou ao fim da carreira de Taylor em 2016, e a Matty Healy, com quem a artista teve um breve romance em 2023, é o ator Joe Alwyn o principal visado do novo projeto da cantora.

O próprio título do disco é uma referência ao protagonista de “Conversation With Friends”. Numa entrevista dada em 2022 à “People”, Joe revelou que tinha um chat de grupo com Paul Mescal e Andrew Scott chamado “Tortured Man Club”.

Com o britânico, a performer vencedora de 14 Grammys teve a relação mais duradoura da sua vida. O namoro ficou marcado pelo secretismo, pelas raras fotografias partilhadas juntos e pelas poucas vezes que foram vistos em eventos sociais ou galas de prémios.

Em maio de 2017, foi anunciado pelo “The Sun” que Swift e Alwyn, que tinham 27 e 26 anos, respetivamente, estavam numa relação. Uma fonte próxima do casal disse que “estavam juntos há meses”, mas ninguém tinha descoberto.

Isto foi confirmado pela própria artista, que juntamente com o álbum “Lover” partilhou algumas entradas do seu diário. “Atualmente vivo quase a tempo inteiro em Londres enquanto nos tento esconder deste mundo nojento que só quer arruinar tudo”, escreveu em janeiro de 2017. “Estamos juntos há três meses e ninguém sabe.”

Embora não haja quaisquer evidências, os fãs mantêm a teoria de que ambos se terão conhecido na Met Gala de 2016, que decorreu a 2 de maio. No tema “Dress”, presente no álbum “reputation” (2017), a cantora fala de um rapaz que tinha conhecido quando ela tinha cabelo platinado e ele um corte rapado. Foi este o visual de ambos no evento de moda.

No início, as metas da relação foram alcançadas com rapidez — algo que deixaria de acontecer no futuro. Em junho de 2017, Alwyn viajou até Nashville para passar tempo com a família da namorada. “Ele ainda não tinha estado com os pais dela. Parece que as coisas estão a ficar sérias”, escreveu a “People”. Passado meio ano, foram vistos pela primeira vez no festival iHeartRadio’s Jingle Ball, em Nova Iorque, onde Swift aturar. “Ela estava com um humor ótimo. O Joe ficou durante a totalidade do concerto e saíram juntos”, disse uma fonte à mesma publicação.

Esta foi uma das poucas vezes que as superestrelas foram vistas juntas. Em setembro de 2018, após passarem umas férias em Turcas e Caicos, o ator partilhou com a “Vogue” britânica o porquê de manterem a relação privada. “Sei que querem saber sobre isso, mas acho que temos sido bem sucedidos mantendo as coisas entre nós e isso está a deixar algumas pessoas zangadas. Prefiro simplesmente falar sobre trabalho”, comentou. Já à “Total Filme” disse: “Não quero que a minha relação seja examinada por alguém que não sabe o que está realmente a acontecer.”

Esta forma de ver o relacionamento e o próprio secretismo que à volta dele existia foi reforçado por Taylor em agosto do mesmo ano. Naquela altura, já namorava com o ator há dois anos, mas contavam-se pelos dedos as vezes que tinham sido vistos juntos — os Globos de Ouro de janeiro de 2019 e o documentário “Miss Americana” de 2020 eram raras exceções.

“Com os anos percebi que se tiver um relacionamento público, vão pensar que podem falar sobre nós, mas a nossa relação não é um tema de discussão. Tenho de criar limites para conseguir gerir a minha vida”, contou ao “The Guardian”.

Em novembro de 2020, o tópico voltou à baila, desta vez durante uma conversa com Paul McCartney para a capa da “Rolling Stone”. Confessou que, no início do namoro, estava “aterrorizada”. Afinal, vêm de realidades diferentes.

Ela é um fenómeno global. Joe, contudo, tinha uma carreira que passava debaixo do radar. Até 2017 tinha estado apenas em duas obras: “Billy Lynn: A Longa Caminhada” e “O Sentido do Fim”. Foi após ter começado a namorar com Taylor que os papéis começaram a aparecer. Este ano vai estar, por exemplo, em “Kinds of Kindness”, o novo filme realizado por Yorgos Lanthimos e protagonizado por Emma Stone.

“Devido à minha ansiedade, consigo controlar quem eu sou como pessoa e o quão normal ajo e racionalizo, mas não posso controlar se há 20 fotógrafos numa floresta quando queremos ir passear e se seguem o nosso carro ou interrompem as nossas vidas. Não posso controlar se haverá uma manchete falsa e estranha sobre nós nos jornais de amanhã”, lamenta a artista de 34 anos que vai atuar no Estádio da Luz, em Lisboa, a 24 e 25 de maio.

Na mesma entrevista contou ainda que Alwyn percebia “perfeitamente” a sua situação enquanto figura pública. “Acho que ao conhecê-lo e no relacionamento em que estamos agora tomei decisões que fizeram com que a minha vida parecesse mais real e não apenas uma história que está a ser contada nos tabloides.”

Era frequente publicações como o “The Sun” e o “The Mirror” partilharem, na primeira página, notícias que afirmavam que Taylor Swift e Joe Alwyn estavam finalmente noivos após vários anos de namoro. Nenhuma destas manchetes correspondia à realidade.

“Se tivesse uma libra por cada vez que dissessem que estou noivo, ia ter muitas moedas. A verdade é que se a resposta fosse sim, que estou noivo, não diria. Se fosse não, também não diria”, contou à “WSJ Magazine” em abril de 2022. 

Até março do ano seguinte, tudo parecia estar a correr bem entre ambos — pelo menos era isso que transparecia para o público. A 8 de abril, contudo, foi anunciado pela “People” que a relação tinha chegado ao fim após seis anos.

Após acusações de infidelidade, soube-se a 10 de abril a verdadeira razão para o ponto final naquela história: “Tinham personalidades muito diferentes”, disse uma fonte à mesma publicação.

“Eles não eram corretos um para o outro e perceberam isso depois de saírem da bolha que tinham formado durante a pandemia. Eles tinham muito em comum e apaixonaram-se num lugar seguro quando ela se refugiou do mundo exterior e começou a preparar o ‘reputation’. Depois, chegou a pandemia e passaram as quarentenas juntos e a relação continuou a crescer. Mas ele não a conhecia fora daquela privacidade”, acrescenta. Joe tinha, essencialmente, dificuldades em lidar com o estatuto da namorada.

Parece que aqueles que gritavam “traição” quando se falava sobre o término do relacionamento podiam estar corretos. Com o novo álbum da artista, lançado esta sexta-feira, novas letras levaram os fãs a acreditar que o ator de 33 anos traiu, de facto, a ex-namorada. No tema “The Smallest Man Who Ever Lived”, por exemplo, Taylor acusa-o de enviar mensagens a outras mulheres.

Na mesma faixa, a artista também canta: “In plain sight you hid but you are what you did. And I’ll forget you, but I’ll never forgive the smallest man who ever lived”. A letra pode ser traduzida para “Tu escondes-te à vista de toda a gente, mas tu és o que fizeste. Eu vou-te esquecer, mas nunca vou perdoar o homem mais pequeno que alguma vez existiu”.

Apesar das marcas que Joe pode ter deixado, a artista está atualmente a namorar com Travis Kelce, jogador dos Kansas City Chiefs, a equipa que mais recentemente venceu a Super Bowl. Agora, já têm uma relação mais pública e em poucos meses foram vistos mais vezes do que os seis anos em que a artista esteve com Joe. Travis, de 34 anos, também revelou que quer acompanhar a cantora durante a digressão pela Europa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT