Música

Emmanuel Macron tentou anular a vitória dos Måneskin na Eurovisão em 2021

O presidente francês queria que os italianos fossem desqualificados, revela um locutor que foi contactado pelo político.
Emmanuel Macron estava a assistir à Eurovisão.

O Festival da Eurovisão de 2022 decorre esta semana, mas agora foi revelada uma notícia em relação à edição do ano passado. O locutor francês Stéphane Bern, em declarações à BBC, afirmou que o presidente Emmanuel Macron o contactou para que ele fizesse “alguma coisa” para que os italianos Måneskin fossem desqualificados e não ganhassem o concurso.

Em causa estavam as imagens controversas — e que rapidamente circularam pelo mundo — em que aparentemente um dos membros da banda consumia cocaína durante a gala da Eurovisão. O grupo acabou por ser submetido a um exame toxicológico que deu negativo para o consumo de drogas.

Se os Måneskin tivessem sido desqualificados, a vitória teria sido atribuída à representante francesa, Barbara Pravi, que ficou em segundo lugar. “Foi uma confusão. Recebi tantas mensagens — incluindo do presidente francês — a pedir-me para fazer alguma coisa. O Ministro dos Assuntos Europeus, que estava a ver o concurso em Roterdão, também me enviou mensagens a perguntar o que poderíamos fazer. Mas que poderia eu fazer? Não era o apresentador, nem sou o presidente da Eurovisão”, contou o locutor.

E acrescentou: “a Delphine Ernotte [francesa e presidente da União Europeia de Radiodifusão, entidade organizadora da Eurovisão] disse que se a França ganhasse teria de ser por mérito e não porque levámos o vencedor a ser desclassificado. Por isso, não protestámos”.

A segunda semifinal da edição de 2022 acontece nesta quinta-feira, 12 de maio. A final decorre no sábado, dia 14 — a portuguesa Maro já está apurada.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT