Música

Este concerto juntou 4 mil pessoas para estudar a forma como a Covid-19 se propaga

Aconteceu na Alemanha e foi organizado por investigadores que querem saber de que forma é que se pode controlar a transmissão.
Foi um concerto fictício.

Este sábado, 22 de agosto, mais de quatro mil pessoas juntaram-se numa sala de espetáculos em Leipzig, na Alemanha, para assistir a um concerto. Até aqui nada de preocupante, não estivéssemos nós a meio da pandemia de Covid-19, onde os ajuntamentos são sinal de elevado risco de contaminação — só nas últimas 24 horas, mais de dois mil alemães foram infetados. Mas tudo não passou de uma encenação, para servir de base a um estudo que procura perceber melhor como é que o vírus se propaga em ambientes com muitas pessoas.

Todos os participantes deste concerto — incluindo os músicos — eram voluntários, dispostos a ajudar os investigadores. Cada pessoa que esteve presente foi previamente testada e apenas tinham acesso ao espaço os indivíduos com resultado negativo para a Covid-19. Depois entraram os académicos em campo.

Cada pessoa que entrava na arena recebia uma dose de desinfetante especial: álcool-gel com uma mistura de um líquido fluorescente que reage à luz ultravioleta. O objetivo? Perceber, ao fim de duas horas de concerto, quais eram as superfícies e zonas do corpo com mais sinais deste reagente, para que se possa analisar de que forma é que o vírus se propaga.

As conclusões deste estudo serão depois apresentadas em outubro, revelaram os investigadores.

Recorde-se que a Alemanha registou mais de 232 mil infetados e mais de 9 mil mortes provocadas pelo novo coronavírus desde o início da pandemia.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT