Música

Jonas Brothers chegaram para espalhar a nostalgia Disney no Rock in Rio

Kevin, Joe e Nick Jonas deram um concerto no Palco Mundo a pensar nas fãs de sempre. Elas não ficaram desiludidas.
Uma viagem nostálgica apreciada pelas fãs.

Os Jonas Brothers andam há muito tempo na estrada — e isso nota-se: a máquina está bem oleada. Em agosto do ano passado arrancaram com a digressão mundial “Cinco Álbuns. Uma Noite”, que só termina em outubro e conta com umas impressionantes 102 datas. Descrito como a “Eras Tour” da super boy band da Disney, o périplo vai durar mais de um ano — com algumas pausas pelo meio, preenchidas com atuações em festivais, como a deste sábado, 22 de junho, no Rock in Rio Lisboa.

Muitos telemóveis de lanternas ligadas, milhares de vozes, sobretudo femininas, a entoarem os êxitos. Em muitos momentos os gritos eram suficientemente poderosos para abafar a música — algo compreensível na estreia do trio de irmãos em Portugal, um concerto “devido à muito”, como foram repetindo ao longo da noite. 

Os Jonas, estiveram iguais a si próprios, como se estivessem a gravar uma cena de “Camp Rock” (onde foram buscar muitos dos temas que apresentaram no Parque Tejo, aliás). Kevin, integralmente de preto, Nick de canadian tuxedo, que é como quem diz, de ganga da cabeça aos pés; e Joe de calças de pele preta e um blusão tipo estampado de leopardo.

Os figurinos não são secundários, pelo contrário, representam o papel que cada um desempenhou. Kevin com pinta de quem estava ali para “mais um dia no escritório”, com a garrafa de água atrás. Nick preparado para puxar do falsete e das enunciações nasais, nem sempre bem conseguidas; e, por fim, Joe a trabalhar satisfazer a multidão em delírio, com gestos e movimentos tão harmoniosos que pareciam artificialmente ensaiados.

Foi Joe que desceu até ao público para tocar no público e regressou com uma bandeira de Portugal e um cachecol português ao palco.

Outro dos atos performáticos de Joe, especialmente durante o primeiro terço do espetáculo, foi mostrar muita cumplicidade com a guitarrista JinJoo Lee. Os dois conhecem-se desde a formação dos DNCE, onde Joe é vocalista, porém, tanta proximidade pareceu demasiado encenada.

O desfile de canções percorreu toda a carreira dos Jonas— como tem acontecido em todos os concertos da tour “Cinco álbuns. Uma noite”, incluindo hits como a “What a Man Gotta Do”, “When You Look Me in the Eyes”, “Love. Bug”, “Year 3000” ou “SOS”.

Apesar do portefólio bem recheado de êxitos, os melhores momentos do trio de irmãos foram, sem dúvida, os covers. Brilharam em “Can’t Take My Eyes Off You”, de Frankie Valli & The Four Seasons — “Uma homenagem a um dos nossos grupos favoritos de Nova Jérsia, a cidade de onde somos”, explicou Nick.

“September”, um clássico dos Earth, Wind & Fire a que os Jonas se entregaram a fundo, deixou todo o Parque Tejo a dançar. A vibração aumentou quando Big Rob surgiu em palco, “numa aparição especial” que transportou a multidão de 80 mil pessoas (segundo Joe) para o universo Disney num piscar de olhos.

Robert Feggans (o seu nome de batismo), antigo guarda-costas dos Jonas Brothers, mas também de Britney Spears e Demi Lovato, anda em digressão com os irmãos desde 12 de agosto de 2023, a primeira data da tour. Subiu ao palco do Yankee Stadium, em Nova Iorque (EUA), para fazer uma perninha em “Burnin’ Up” — algo que tem repetido em todos os concertos desde então.

O concerto foi, essencialmente, um bom momento de nostalgia para a faixa etária do início da geração Y até o final da geração Z (aproximadamente entre os 23 a 34 anos). Os Jonas Brothers cresceram, é certo, mas continuam competentes e, mais importante, continuam a fazer felizes aqueles largos milhares de pessoas que foram criadas pelo Disney Channel.

Carregue na galeria para ver mais imagens do primeiro concerto dos Jonas Brothers em Portugal, no Rock in Rio.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT