Música

Macy Gray acusada de transfobia: “Trocar de partes baixas não faz de vós mulheres”

"Se quiseres que te chame 'ela', tudo bem, porque é isso que queres. Mas isso não faz de ti mulher", disse em entrevista.
Fotografia: YouTube.

Durante uma aparição no programa “Piers Morgan Uncensored”, a cantora Macy Gray deu origem a uma polémica ao afirmar que mulheres transgénero não são, efetivamente, mulheres. “Trocar de partes baixas não faz de vós mulheres”, disse a artista mais conhecida pelo hit “I Try”, de 1999, depois de comentar que toda a gente a iiria odiar pela declaração. Não se enganou e os comentários geraram uma onda de acusações de transfobia.

Ainda assim, Gray emendou imediatamente o comentário e  garantiu respeitar as mulheres transgénero enquanto indivíduos. Fê-lo, contudo, sem deixar de fazer um reparo: “Se quiseres que te chame ‘ela’, tudo bem, porque é isso que queres, mas isso não faz de ti mulher.”

Quando Morgan lhe pediu que desse a sua definição de mulher, Gray foi taxativa: “Um ser humano com seios e uma vagina”. Aproveitou, assim, para defender J.K. Rowling. Nos últimos anos, a autora da saga “Harry Potter” tem sido alvo de várias críticas por comentários considerados transfóbicos. “Não creio que se possa chamar alguém de transfóbico só por não se concordar com isso”, explicou.

No Twitter, a escritora já reagiu às declarações da também atriz. “Este é um bom dia para garantir que comprei todos os discos da Macy Gray”, escreveu.

Os comentários da cantora, contudo, geraram uma onde de reações negativas que a levaram a manifestar-se. “Não tenho nada mais do que amor pela comunidade LGBTQ+ e transgénero e tenho sido um apoiante desde o primeiro dia”, disse em comunicado enviado à “Billboard”. “A minha declaração no [programa do] Piers Morgan foi grosseiramente mal compreendida. Eu não odeio ninguém. Respeito o direito de todos a sentirem-se confortáveis nos seus corpos e a viverem a sua própria verdade”, concluiu.

Já no Twitter, foi mais direta: “Todos que vêm à minha página, a ameaçar-me e chamar-me nomes — só porque disse algo com o qual não concordam — sejam o que quiserem ser e ponham-se a andar”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT