Música

Nemo: o artista não-binário que começou a tocar piano aos 6 anos venceu a Eurovisão

"Agora, sinto que as pessoas já me percebem melhor e isso significa muito para mim", diz o músico suíço.
Ninguém o percebia quando era mais novo.

Quando era pequeno, com cerca de seis anos, Nemo Mettler já tocava guitarra, violino e piano. Os seus pais, Markus Mettler e Nadja Schnetzler, perceberam imediatamente que o filho era um prodígio e continuaram a incentivar a paixão pela música. Valeu a pena. O artista venceu este sábado, 11 de maio, a Eurovisão com o tema “The Code”.

Na realidade, ele começou a saber como era ser famoso quando tinha 16 anos. O natural de Bienna participou no programa “#Cypher” da estação de rádio SRF Virus. Uma atuação de um tema original tornou-o viral nas redes sociais. Depois disso lançou dois EP, dos quais sete temas entraram diretamente nos tops das tabelas suíças.

Nemo revelou que era não-binário em 2023, naquele que pensava ser o auge da sua carreira com concertos constantes na Suíça. Temeu pelo futuro da sua carreira, mas não conseguia esconder mais aquele segredo. “Durante muito tempo não me sentia confortável com o meu corpo e era difícil explicar o que se passava dentro de mim”, disse em entre vista ao jornal “SonntagsZeitung”.

Este tópico foi abordado pela primeira vez num tema seu ainda no final do mesmo ano, com o lançamento de “This Body”. “Foi escrito num momento em que estava sozinho porque ainda não era capaz de me abrir com os outros, mas tem uma nota de esperança. Tenho muita sorte com as pessoas que tenho atualmente à minha volta.”

Agora, em “The Code”, Nemo, de 24 anos e solteiro, voltou a usar muita da sua experiência pessoal. A canção mistura rap, pop e batidas de bateria acompanhadas pelo baixo. “Nunca esperei participar na Eurovisão”, contou ao jornal britânico “Independent”.

Na faixa também recorreu àquilo que aprendeu na indústria da música ao longo da vida. Quando tinha nove anos começou a ter aulas de canto, nomeadamente de ópera. “Acho que isso moldou muito o meu trabalho. Este estilo é feito para o palco. Claro que é desafiante, mas também é divertido de cantar ao vivo por isso mesmo. Este tema fez-me lembrar de quando era miúdo e treinava nos palcos.”

O performer também descreve “The Code” como uma faixa “que poderia ser interpretada pelo Freddie Mercury ou pelo James Bond se eles cantassem K-pop”.

Apesar de ter vários singles famosos, nomeadamente “Du” que recebeu prémios na Suíça, foi este mais recente trabalho que mudou por completo a sua vida, não só porque lhe valeu a vitória na Eurovisão, mas também pelo amor que recebeu do público.

Nemo, que também adora ler (a sua obra favorita é “Beautiful World, Where Are You”, de Sally Rooney), confessa que quando era mais novo não sabia exatamente quem era e que os colegas o deixavam muitas vezes de lado devido aos seus traços e gostos mais femininos. “Agora, sinto que as pessoas já me percebem melhor e isso significa muito para mim. Saber que gostam de uma canção em que sou genuinamente eu é incrível”, afirmou nas mesmas entrevistas.

Criar “The Code” também moldou a forma como Nemo quer fazer música daqui para a frente. “Estamos a planear tudo agora. Há tantas portas que se estão a abrir por causa da Eurovisão, então mal posso esperar para me voltar a reunir com a minha banda para apresentar novos temas ao vivo. Percebi que a música, tal como o género, não tem de ter regras.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT