Música

Nova comédia com Scarlett Johanson e Channing Tatum é focada numa teoria da conspiração

"Fly Me To The Moon" aborda a ida do homem do Lua. Chega esta quinta-feira, 11 de julho, ao streaming.
É realizada por Greg Berlanti.

Neil Armstrong pisou a Lua a 20 de julho de 1969. Volvidos mais de 50 anos sobre o “pequeno passo para um homem, mas um salto gigantesco para a humanidade”, a teoria da conspiração sobre a veracidade desse acontecimento continua a ser alimentada por diversos grupos de pessoas. Defendem que tudo não passou de uma farsa criada pelo governo dos Estados Unidos para aprimorar a sua imagem durante a Guerra Fria.

Segundo os defensores dessa tese, as imagens e os vídeos divulgados pela NASA são forjados e não há provas concretas de que os astronautas realmente estiveram na lua. Além disso, alegam ainda que a tecnologia da época não era avançada o suficiente para permitir uma viagem tripulada ao satélite natural da Terra. O novo filme da Apple TV, “Fly Me To The Moon”, aborda esta teoria da conspiração de forma humorística. A produção chega à plataforma de streaming na próxima quinta-feira, dia 11 de julho.

A trama desenrola-se durante a corrida espacial dos anos 60, com os EUA e a União Soviética a competirem para ser o primeiro país a chegar à lua. À medida que o apoio público à NASA diminui, o financiamento torna-se incerto. Para evitar esta calamidade, a NASA recruta Kelly Jones (Scarlett Johansson), uma especialista em marketing, para melhorar a imagem pública da agência.

Uma das estratégias elaboradas para alcançar este objetivo é filmar uma falsa ida à lua como plano de contingência, caso haja problemas com a missão — ideia que desagrada aos cientistas envolvidos, a começar pelo diretor do lançamento espacial, Cole Davis (Channing Tatum). A comédia retrata o que poderia ter acontecido se tal teoria da conspiração fosse verdadeira.

“Acredita em si própria e na suas capacidades. Sabe que é incrivelmente boa no seu trabalho, e aprecio estas qualidades”, comentou Johansson, que é também uma das produtoras do filme, em declarações ao “Screen Rant”. “É uma mulher verdadeiramente realizada. Sabe quando fez algo errado e admite as suas falhas e defeitos, algo de que também gosto. Ela tem muita integridade, embora seja acusada de não ter”, acrescentou a atriz sobre o que a motivou a aceitar o papel de Kelly Jones.

Channing Tatum, por sua vez, sublinha o turbilhão em que vive a sua personagem. “O Cole tem muita coisa a acontecer emocionalmente. Penso que é motivado por uma certa culpa”, detalha.

“É surpreendente, porque ele está muito investido na ideia de que a América deveria avançar na exploração espacial, que o governo deveria apoiar ida à Lua. Por outro lado, reconhece que não estamos dispostos a fazer o que é necessário para lá chegar. Acho isso absurdo e quase ofensivo. Acredito que qualquer pessoa que acredite tanto no que está a fazer como ele poderia sentir o mesmo”, afirmou ao “Screen Rant”.

Além de Johansson e Tatum, o elenco inclui nomes como Woody Harrelson, Jim Rash, Ray Romano, Nick Dillenburg, Anna Garcia, Noah Robbins, Colin Woodell, Christian Zuber, Donald Watkins, Peter Jacobson, Kyle S. Brown e Jessie Mueller, sob a direção de Greg Berlanti.

Carregue na galeria para descobrir outras produções que chegam à televisão e às plataformas de streaming em julho. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT