Música

O festival da Eurovisão de 2023 vai ter novas regras para acabar com troca de favores

As alterações inéditas foram anunciadas depois da polémica concertação entre júris de vários países na edição de 2022.
Foram anunciadas novas regras.

A edição de 2023 do Festival da Eurovisão da Canção que vai decorrer em Liverpool, no Reino Unido, teve já teve várias desistências. A Macedónia do Norte e Montenegro anunciaram em outubro que pretendiam desistir da participação devido aos custos de estadia no território anfitrião. Pouco depois, a European Broadcast Union, organizadora do festival, divulgou que a Bulgária também decidiu abandonar o concurso.

Outra das nações que não vão participar é a Rússia, impedida de viajar para Liverpool devido à ocupação do território ucraniano. Mais do que pela diminuição do número de países participantes, o evento volta agora a ser alvo de atenções. Desta vez, por anunciar novas regras — o objetivo é acabar com as trocas de favores entre júris.

Depois da polémica da troca de favores entre júris de vários países na edição do ano passado, em 2023 apenas o voto do público decidirá quem passa à final. Somente na última fase do concurso é que os júris profissionais poderão votar. Além disso, os países que não estiverem em competição poderão também eles atribuir pontos — tanto nas semi-finais como nas finais. Esta contribuição será contabilizada como votos do “resto do mundo” e deverá ajudar a refletir o “impacto global” da Eurovisão, segundo afirma a organização.

Estas novas medidas foram anunciadas após terem sido detetadas irregularidades na votação do concurso que decorreu este ano em Itália. Estarão envolvidos os júris de Azerbaijão, Geórgia, Montenegro, Polónia, Roménia e San Marino. A próxima edição seria recebida na Ucrânia, vencedora da Eurovisão em 2022, mas, devido à guerra que decorre no seu território, vai acontecer na cidade de Liverpool, em Inglaterra. Esta será a nona edição do Festival da Eurovisão a decorrer em território britânico. A primeira vez foi em 1960 e a última em 1998. Londres foi anfitriã por quatro vezes, mas o evento também já chegou a Edimburgo, Brighton, Harrogate e Birmingham.

Leia os artigos para saber quais os países que abandonaram o concurso e o que os levou a tomar essa decisão.  Leia também este artigo da NiT sobre as origens do grupo Kalush Orchestra — o vencedor da edição deste ano, com o tema “Stefania” —, criado em 2019 que já era um sucesso no país de origem.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT