Música

Por que raio é que Steve Aoki lança bolos contra a cara dos fãs nos concertos?

O famoso DJ volta a atuar no MEO Sudoeste. Se estiver nas filas da frente, tenha cuidado. Já houve quem o processasse por isso.
O DJ tornou-se conhecido por isto.

Apesar de já haver pessoas acampadas há vários dias na Zambujeira do Mar, o MEO Sudoeste só arranca oficialmente esta quarta-feira, 3 de agosto. É o regresso de um dos mais icónicos festivais de música portugueses, hoje em dia bastante virado para as tendências do público jovem.

Este ano, o cartaz inclui nomes como Major Lazer, Timmy Trumpet, Pedro Sampaio, ProfJam, Calema, Bispo, Deejay Télio, Morad, Lewis Capaldi, Masego, CKay, Melim, Jovem Dionísio ou Rex Orange County. Na lista está ainda o célebre DJ americano Steve Aoki, que já passou várias vezes pela Zambujeira do Mar.

Aos 44 anos, o músico natural de Miami é um dos nomes mais conhecidos da chamada EDM (electronic dance music) — género de música eletrónica popular, relativamente leve e comercial, em que habitualmente o DJ é, acima de tudo, um entertainer pop. Steve Aoki personifica completamente essa vertente, ao apostar em espetáculos em que muitas vezes a música é quase secundária.

Aoki tornou-se conhecido pelas interações com o público — como, por exemplo, quando faz crowd surf em cima de um barco insuflável. Mas o elemento que tornou as suas performances ainda mais características foi o inesperado e bizarro lançamento de bolos.

Desde 2011 que Steve Aoki atira literalmente bolos contra a cara dos fãs durante os seus espetáculos. Isso nem sempre acontece, é verdade. Mas é algo habitual nos grandes festivais de música e nas suas performances em nome próprio. Muitas vezes há vários bolos por cada DJ set — ou seja, no total, Steve Aoki já lançou centenas de bolos.

Normalmente, acontece a meio da atuação, quando o DJ lança no seu controlador o tema “Cakeface”, do álbum “Neon Future Odyssey” (2015), produzido de propósito para este efeito. Já se tornou num fenómeno. Em todas as atuações de Aoki, dezenas de fãs levam cartazes a dizer “Cake me” ou outras frases que apelem a que o DJ lhes acerte em cheio com um bolo no rosto. Muitas vezes resulta — Steve Aoki tem uma ótima pontaria.

Tudo começou quando Aoki assistiu ao videoclipe do tema “Turn Up The Volume”, de Autoerotique, artista da mesma editora. No vídeo havia imagens cinematográficas de bolos a explodir em câmara lenta. 

“Foi mesmo gravado de forma bonita. A canção tornou-se viral por causa do vídeo, então tive a ideia de promover o tema ao lançar um bolo contra alguém. Esse era o conceito. O bolo que eu tinha no princípio dizia mesmo ‘Autoerotique, Turn Up the Volume’”, explicou Steve Aoki numa entrevista à “Vice”.

Alguns meses depois, o lançamento de bolos já se tinha tornado parte do espetáculo e uma marca distintiva de Steve Aoki. Quando a organização de um festival ou de uma sala de espetáculos contrata o DJ, uma das suas exigências é que preparem os bolos. 

Existe uma espécie de receita com uma série de parâmetros: o bolo tem de ser branco, ter uma cobertura colorida grande para que se desfaça em bocados, e são exigidas dimensões específicas. Têm de ter 40 centímetros de comprimento, 30 centímetros de largura e 10 centímetros de profundidade. O DJ já apelou publicamente para que os bolos sejam feitos em pastelarias locais.

Steve Aoki pede ainda às organizações que não incluam quaisquer logótipos do festival, sala de espetáculos ou marcas patrocinadoras. E diz que não podem ir para o frigorífico — para não ficarem demasiado duros. O suporte para o bolo tem de estar à medida e com as pontas arredondadas — para que não sejam provocados quaisquer ferimentos aos fãs. 

Apesar disso, alegadamente, já houve espectadores a processar o DJ depois de serem atingidos com um bolo. Em 2016, de acordo com o site “TMZ”, um fã que levou com um bolo em Las Vegas alegou que escorregou no bolo depois de este ter caído no chão, o que lhe causou “sofrimento mental” e “perda de rendimento”. Um ano depois, chegou a notícia de que o músico e o fã tinham chegado a um acordo para resolver o processo. Num caso mais grave, também em 2016, Steve Aoki partiu involuntariamente o pescoço de uma fã ao fazer crowd surf por cima dela.

À parte dos processos, as críticas relativamente ao lançamento de bolos sempre se fizeram sentir. Em declarações ao “The Daily Beast”, Steve Aoki defendeu-se ao dizer que o ato é “uma forma de expressão” e que só atira a pessoas do público que mostram estar interessados em levar com um bolo na cara.

“A forma como escolho quem leva com o bolo costuma ter a ver com quem demonstra mais energia e quem grita mais por isso. Será que devo parar de lançar bolos? Isso impediria os haters de me odiarem? Será que os bolos estão a afastar-me da minha arte, o DJing? Tenho a certeza de que muitas pessoas sentem que sim porque as coisas que faço não são parte da norma.”

E acrescentou: “Toda a gente tem o seu estilo e alguns DJ dominam a arte de usar filtros que os ajudem a conectar o público com uma canção ou um estado de espírito. Essa é a ferramenta deles. Esta é a minha”.

O MEO Sudoeste prolonga-se até sábado, 6 de agosto, na Zambujeira do Mar. Steve Aoki atua na sexta-feira, dia 5. Os passes gerais estão à venda por 110€, enquanto os bilhetes diários variam entre os 40€ e os 50€. Conheça todas as modalidades de ingressos disponíveis — e o cartaz completo — no site oficial do festival.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT