Música

RTP pede esclarecimentos à Eurovisão por causa de polémica com iolanda

Organização terá apontado padrão exibido nas unhas, numa clara mensagem de apoio pró-Palestina, como um problema.
RTP pediu esclarecimentos.

Na noite da grande final, iolanda atuou e esperou que o vídeo da performance chegasse às redes sociais, como acontece sempre com outros artistas. A publicação demorou a ser feita. Tanto que, do lado da delegação portuguesa, se sentiu quera necessário intervir — ou pelo menos questionar. As suspeitas avolumaram-se depois de uma troca de emails.

“[A RTP] reagiu de imediato quando viu que o vídeo não tinha entrado como os dos outros estavam a entrar, imediatamente após o fim da atuação, e a indicação que foi dada através de uma troca de e-mails é que havia um problema técnico”, explica o presidente do Conselho de Administração da RTP, Nicolau Santos, que pediu esclarecimentos mais detalhados à União Europeia de Radiodifusão (EBU), empresa organizadora da Eurovisão, sobre o atraso na divulgação da atuação portuguesa na final do festival. “É nessa troca de e-mails, que a pessoa que está a responder à nossa delegação disse ‘mas a vossa concorrente tem motivos pró-Palestina pintados nas unhas’. Houve da nossa parte a pergunta ‘o que é que isso tem a ver?’ O que aconteceu é que imediatamente a seguir o vídeo entrou.”

Embora Nicolau Santos refira que não há “evidência que isso possa ter levado ao atraso do vídeo”, a tensão era e é palpável. Sobretudo porque o vídeo que foi divulgado não foi o da final, mas da semifinal, atuação na qual iolanda surgiu com as unhas meramente brancas e sem o padrão polémico.

“Foi algo que se passou em meia hora. Nós agora estamos à espera de saber, a nossa delegação continua em contacto com as pessoas da Eurovisão. Estamos à espera de saber as explicações mais cabais”, afirmou o responsável da RTP. Sobre a decisão de apresentar um protesto formal, Nicolau Santos afirma que é necessário “ter consolidadas as indicações do que se passou e se efetivamente houve um problema técnico ou se foi alguém que estava na régie que propositadamente atrasou a entrada do vídeo no ar”.

A verdade é que uma fonte da RTP já tinha divulgado à NiT que este era um ano mais tenso que o habitual. “É um ano atípico no mundo. E, portanto, a tensão sempre aconteceu, mas claro que sim, foi um ano com mais tensão. Houve vários incidentes durante o percurso e isso causa sempre alguma tensão. Mas também posso garantir que houve um ambiente de camaradagem, boa disposição e de diversão por parte dos artistas.”

iolanda não quis deixar de revelar a sua opinião sobre o conflito, ainda que de forma discreta. O massacre de Gaza manteve-se presente durante todo o evento, com a organização a banir quaisquer mensagens políticas — e o uso de bandeiras da Palestina.

A artista portuguesa decidiu, ainda assim, surgiu na red carpet com unhas ornamentadas com o padrão do keffiyeh, o símbolo de resistência palestiniana. No final da atuação, deixou outra mensagem, mais universal, mas sem dúvida dirigida à polémica que ensombrou o evento: “Peace will prevail” (em português, “a paz vai prevalecer”), gritou.

A cantora não se ficou por aqui. Quando estavam a ser atribuídos os pontos do júri e Portugal recebeu os tão cobiçados 12, fez questão de mostrar as unhas para a câmara enquanto celebrava.

Também no dia da semifinal, a cantora desfilou na passadeira turquesa que serve como a apresentação oficial dos concorrentes à cidade anfitriã. E fê-lo utilizando um vestido preto, longo e esburacado da marca Trashy Clothing, uma etiqueta palestiniana que se descreve como “uma marca de luxo anti-luxo”.

Sobre o tema, fonte da RTP explicou à NiT que “iolanda sempre teve total liberdade para usar ou dizer aquilo que quer”. “Se há coisa que a RTP defende é a liberdade artística e individual de cada um. O artista está em representação da RTP e de Portugal, mas é um artista individual com opinião própria e com as suas posições e não seríamos nós nunca a pedir a alguém para deixar de dizer aquilo que quer ou sente.”

Outro dos factos que Nicolau Santos quer ver esclarecido é o facto de Israel ter ficado em primeiro lugar na votação do publico. “Quero lembrar que Portugal, na votação do júri, esteve sempre entre o quarto e o sétimo lugar, e depois quando chegámos à votação do público, inopinadamente Israel, que estava nos últimos lugares, na segunda metade da tabela, passou para primeiro lugar, com uma votação verdadeiramente extraordinária”, frisou.

“Para um evento que não se quer político, é óbvio que temos de refletir sobre esta votação, que foi uma votação política de pessoas que apoiam Israel e que levaram Israel para este nível de classificação, relegando Portugal para décimo lugar”, concluiu.

Outras polémicas que marcaram a final

Antes da transmissão, membros da delegação portuguesa revelaram ter assistido a casos de perseguição e assédio por parte de elementos da delegação de Israel a outros países, que motivou um pedido de audiência com a União Europeia de Radiodifusão. A notícia foi adiantada pela RTP que mencionou “eventos de perseguição da delegação israelita, a membros da Grécia, Suíça, Irlanda e Países Baixos” na zona dos bastidores, próximo da equipa de Portugal.

Bambie Thug, que representou a Irlanda, também tinha pedido uma reunião de emergência com a UER e não participou no ensaio devido a “uma situação” que tinha ocorrido no início do dia. Os participantes da Grécia e da Suíça também não compareceram. “Ocorreu uma situação enquanto esperávamos para subir ao palco e participar no desfile de artistas, pelo que pedi a atenção urgente da UER. A UER levou este assunto a sério e discutimos que medidas tomar”, explicou Bambie nas redes sociais.

Censura também foi palavra de ordem nesta edição da Eurovisão. Num TikTok partilhado e já apagado, Bambie Thug revelou que a produção a obrigou a alterar a maquilhagem porque, no rosto, tinha uma mensagem de apoio à Palestina que pedia o cessar-fogo. Um suposto incidente entre o cantor holandês e alguém da equipa da EBU também ditou a expulsão dos Países Baixos da Eurovisão.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT